Food Service

Notícia

Hoje é dia nacional do cachorro-quente

Conheça as possíveis versões para a invenção de um dos lanches mais apreciados no Brasil e no mundo

09/09/2014

Seja apenas com salsicha e pão ou incrementado com molhos, picles, purê de batata, milho, farofa, ovo de codorna, entre outros acompanhamentos, o cachorro-quente conquistou consumidores no Brasil e no mundo, e é atualmente um dos sanduíches mais vendidos no país.


Hoje, dia 09 de setembro, é a data comemorativa oficial desse lanche, o qual  não se sabe ao certo como surgiu. Existem três teorias sobre o surgimento desse sanduíche. A mais conhecida data de 1852, quando um açougueiro de Frankfurt, na Alemanha, resolveu batizar as salsichas que fabricava com o nome de seu cachorro dachshund. Um imigrante alemão, Charles Feltman, levou essa salsicha para os Estados Unidos em 1880. Lá, criou um sanduíche quente com pão, salsicha e molhos.


Outra história é de 1904, na cidade de Saint Louis, nos Estados Unidos. Um vendedor de salsicha quente criou uma maneira dos seus fregueses não queimarem a mão. A quem comprasse suas salsichas ele oferecia luva de algodão limpíssima. Só que os clientes se esqueciam de devolvê-las e ele acabava tendo prejuízo. Seu cunhado, que era padeiro, sugeriu que o salsicheiro pusesse as luvas de lado e começasse a usar pão.


Há também uma versão brasileira. Por volta de 1926, o empresário Francisco Serrador, que idealizou a famosa Cinelândia, no centro da cidade do Rio de Janeiro, lança o cachorro-quente em seus cinemas. A novidade inspirou Lamartine Babo e Ary Barroso, a criarem em 1928, a marchinha de carnaval "Cachorro-Quente". E a partir de 1945, depois da Segunda Guerra Mundial, quando o Brasil passou a sofrer grande influência da cultura americana, o cachorro-quente conquistou definitivamente espaço nesse país.

 

Deixe seu comentário