Publicidade

Food Service

Notícia

Estabelecimentos fazem produtos gigantes como estratégia de marketing

Restaurantes e lanchonetes ganham mercado produzindo lanches, salgados e doces em tamanho muito superior ao convencional para chamar a atenção

10/10/2014

A Panetteria ZN virou febre com o desafio da coxinha de 1 quilo

Bolo, pastel, coxinha e lanche em tamanho gigante foi a estratégia de marketing de pequenos restaurantes e lanchonetes para ganhar ibope e atrair novos clientes com pouco investimento.

 

A Santa Coxinha, localizada na zona leste de São Paulo, é famosa pela variedade de coxinhas no cardápio e pelo título de ter o maior lanche da cidade. Montado por camadas, purê de batata, frango, salsicha, milho, cenoura, queijo e bacon são apenas alguns dos 24 ingredientes que compõem o Ultra X-Tudão da casa. Custa 129,90 reais, tem 7,5 mil calorias e pesa 2,5 quilos. E a lanchonete propôs um desafio, o qual nunca foi vencido: se uma pessoa comer dois Ultra X-Tudão sozinho, o terceiro é grátis e ainda ganha um refrigerante. 

 

A Panetteria ZN, padaria localizada na zona norte de São Paulo, virou febre com coxinha de 1 quilo. Em fevereiro deste ano, a padaria lançou um desafio para promover a supercoxinha: quem conseguisse comer o quitute em menos de 10 minutos não pagava e participava do sorteio de um iPad. Durante os 22 dias do desafio, foram vendidas 3 mil supercoxinhas ou 3 toneladas de massa e frango. Ao todo, 214 pessoas venceram o desafio.

 

Em Fortaleza, a rede de fast food Cheppitos lançou um lanche capaz de sustentar cinco pessoas: o Pastel Gigante Jumbo, com 70 centímetros de comprimento, recheado com queijo mussarela, frango desfiado, bacon crocante, milho, presunto, azeitona e palmito. Os empresários Elenilton Sampaio, 50, e Silvia Herdena, 45, lançaram a iguaria em agosto de 2014 com um valor de R$ 39,90. Ele é atualmente o maior pastel nacional, segundo o RankBrasil.

 

O bolo de chocolate do restaurante Belo Comidaria, localizado na região Centro-Sul de Belo Horizonte, fez fama na cidade. Os clientes entram no local para tirar fotos do doce. A fatia, de 600 gramas, custa 26 reais, pode ser dividida em seis pessoas, e é cortada na mesa do cliente.

 

Para a proprietária da Panetteria ZN, Fatima Dias, uma das principais vantagens da fama do supersalgado é trazer uma clientela nova para a padaria, que fez dobrar até a venda da coxinha tradicional da casa. “Ainda hoje vem muita gente experimentar e é um produto que temos todos os dias”, conta. São vendidas, em média, 200 supercoxinhas por semana e ela custa 32,90 reais a unidade.

 

Os produtos gigantes e os desafios atraem a atenção do público, já que desperta curiosidade, e geram uma propaganda boca a boca, mas é necessário que o empreendedor tenha uma gestão ativa para aproveitar o diferencial e não prejudicar os clientes já fiéis ao estabelecimento.

 

Deixe seu comentário