Publicidade

Food Service

Notícia

Cozinheiras cadastradas em aplicativo de serviços se unem para empreender

Mais da metade das novas empresas são criadas por mulheres. Hoje e nos próximos dias vamos contar algumas histórias de mulheres que se destacaram no mercado food service

08/03/2018

O mês de março nos lembra da força da mulher e como o gênero vem conquistando cada vez mais espaço igualitário no mercado de trabalho. Duas cozinheiras que atuam em São Paulo, cadastradas no aplicativo de contratação de serviços GetNinjas, uniram as habilidades e experiências em diferentes atuações na culinária para expandir seus negócios.

 

Lucia Elena Guimarães, que é formada em Gastronomia e Nutrição, tem como foco de trabalho a culinária vegetariana e vegana. Por meio de um encontro de final de ano realizado pelo GetNinjas para os profissionais cadastrados, ela conheceu Regina Alves cozinheira formada em Gestão com foco em culinária tradicional. Ambas estão cadastradas no aplicativo desde 2014 e, ao avaliarem as oportunidades que perdiam por não serem de sua especialidade, resolveram empreender juntas para ganhar forças e firmaram uma parceria para conciliarem os trabalhos que recebem pelo aplicativo.

 

Hoje é possível que, por meio de um celular nas mãos e aplicativo, mulheres trabalhem de forma independente, mas é importante lembrar que há apenas 56 anos as mulheres não tinham CPF, ou seja, não podiam ter uma conta em banco. Por outro lado, a conquista por igualdade de direitos vem se intensificando no país e vemos sinais disso no empreendedorismo. Em 2016, as mulheres abriram mais da metade dos novos negócios no Brasil, de acordo com o levantamento mundial Global Entrepreneurship Monitor 2017, realizado em conjunto com o Sebrae.

 

Lucia, por exemplo, deixou um emprego no Rio de Janeiro e mudou para São Paulo há 23 anos. Desde 2013, é proprietária da Sabor Nutry, uma empresa que presta serviços para eventos, confraternizações como almoços e jantares, e também atende à domicílio com cardápios personalizados como marmitas congeladas. Devido à qualidade do trabalho que oferece, Lucia também começou a ser chamada para fazer eventos familiares como churrascos. "As pessoas gostam do meu jeito de trabalhar e nem sempre a família toda é vegetariana. Quando conheci a Regina, vi uma oportunidade de aproveitarmos essas solicitações que o GetNinjas nos proporciona. Assim, cada uma cuida do que faz de melhor", explica Lucia.

 

Para Regina, inicialmente o GetNinjas funcionava mais como um canal para conseguir freelas, pois na época em que iniciou, em 2014, ela tinha um emprego fixo. Em 2016 com o agravamento da crise, Regina foi desligada e decidiu apostar mais alto no aplicativo. Ela conta que, por meio das avaliações que recebia dos clientes, foi aprimorando a qualidade do atendimento. "Hoje, administro minha vida e meus horários. Consigo arcar com minhas contas, meu aluguel e sustentar sozinha minha filha de 13 anos", revela.

 

Além da independência financeira, alcançada por meio do aplicativo, a parceria entre as profissionais, iniciada no início de 2018, também vem trazendo bons resultados. "Estamos aprendendo muito uma com a outra, troco meus conhecimentos em carboidratos, proteínas e carnes e a Lucia ensina as técnicas com receitas light, diet e sem glúten. Temos muitas expectativas para esse ano", comemora a cozinheira.

 

Em pesquisa realizada pelo GetNinjas, com uma base de cerca de 3 mil profissionais cadastrados, constatou-se que 56% são mulheres. "O GetNinjas contribui com o empoderamento feminino ao passo que possibilita às mulheres, como Lucia e Regina, trocar a formalização CLT para investir numa jornada empreendedora, ao trabalhar com o que gostam e captar os próprios clientes para organizar a vida financeira, profissional e pessoal", avalia Eduardo L'Hotellier, CEO e fundador do GetNinjas.

Deixe seu comentário