Food Service

Notícia

Computação nas nuvens cresce e se consolida no setor de Food Service

Economia, agilidade e liberdade de acesso atraem cada vez mais restaurantes, franquias, redes de alimentação, entre outros estabelecimentos, para a tecnologia

08/09/2014

A rede The Fifties é uma das que adotaram esta tecnologia. Entre outros clientes estão Rock & Ribs e Kappa Sushi, a franquia La Pasta Giala e a sorveteria Freddo

Cada vez mais restaurantes, redes de alimentação, bares, lanchonetes, sorveterias, entre outros estabelecimentos do setor de Food Service, estão optando por trocar estruturas próprias de hardware pela computação em nuvens (Cloud Computing), que permite o acesso a aplicações, dados, planilhas, documentos, remotamente, por meio da internet.  Ou seja, não é necessário manter aplicativos em hardwares próprios para realizar operações de gestão ou financeiras, por exemplo.

 

O crescimento da migração para a computação em Nuvens foi constatado pela Cheff Solutions (www.cheffsolutions.com.br), empresa especializada em sistemas de automação, no último ano. Segundo a empresa, 70% dos seus mais de um mil clientes já utilizam a tecnologia e cerca de 97% dos estabelecimentos que entram em contato para adquirir um sistema de automação, solicitam especificadamente a tecnologia.  Há dois anos, as porcentagens eram bem menores, 20% e 40% respectivamente. Entre os clientes que usam a tecnologia estão as redes The Fifties, Rock & Ribs e Kappa Sushi, a franquia La Pasta Giala e a sorveteria Freddo.

 

“Experimentamos claramente um momento de expansão na adoção do Cloud Computing pelo setor de alimentação como um todo. Isso porque a tecnologia garante segurança, economia, praticidade e, sobretudo, permite que se mantenha o foco na operação, além de acompanhar de forma simples e rápida o crescimento do negócio, seja de público ou novas unidades ou franquias”, explica o diretor geral da Cheff Solutions, Gilberto Di Santi.

 

Adoção da computação em nuvem pode gerar economia de R$ 48 mil/ano

 

Além da vantagem de se poder acessar a ferramenta de qualquer lugar e a qualquer hora, o Cloud Computing se mostra extremamente interessante do ponto de vista financeiro.  Utilizar um sistema em Nuvem é mais econômico do que manter hardwares no estabelecimento. Como os dados são armazenados na infraestrutura do provedor de serviços, a necessidade de investimento em hardware cai sensivelmente, assim como a preocupação com segurança de dados, backup, disponibilidade, lentidão, bugs, evolução de software e funcionários especializados.

 

“Para os estabelecimentos, o que era relativamente impeditivo, ou seja, gastos com infraestrutura, desenvolvimento e suporte, com o Cloud Computing são de responsabilidade da empresa contratada (fornecedor de serviço). Isso permite que os estabelecimentos invistam em seus próprios negócios, não se preocupando com gastos desnecessários”, finaliza Di Santi.

 

 

Redução do investimento em bens de capital fixo (Capex) e custos operacionais com o Cloud Computing

 

Investimento iniciais:

 

Servidor Interno

R$ 4.000 - Servidor + Sistema Operacional

R$ 1.000 – Infraestrutura (apliance e switch)

R$ 2.500 - Unidade de Backup

R$ 700 - 2x fita DAT para backup

 

Custos mensais:

R$ 2500 - analista de infraestrutura júnior

R$ 1100 - link Internet dedicado

 

              TOTAL: R$ 51.200,00 (no primeiro ano)

 

    I                    Investimento mensais:

Cloud Computing

R$ 1. 100 - Assinatura do plano

R$ 0,00 – Backup de dados

 

Custos mensais:

R$ 150/ mês

 

TOTAL: R$ 2.900,00 por ano

 

Economia de 48.300,00 no primeiro ano

 

 

Deixe seu comentário