Food Service

Notícia

Vinhos nacionais são destaque do Rio Wine and Food Festival

Evento reuniu amantes do vinho e da gastronomia entre 15 e 21 de setembro, no Rio. Em novembro ainda acontece a Grande Prova Vinhos do Brasil, quando 1,5 mil garrafas de vinhos brasileiros serão avaliadas às cegas por um grande júri

24/09/2014

Os rótulos brasileiros tiveram lugar de destaque no Rio Wine and Food Festival (RWFF), que foi realizado de 15 a 21 de setembro. A grande participação de expositores na Feira Show e no seminário Vinho & Mercado, ambos apoiados pelo Ibravin, comprovam que o produto está ganhando cada vez mais espaço.

 

Vinhos brasileiros antigos, foram os protagonistas da degustação Brasil de Guarda. Outros foram destaque no concurso de design de garrafas e rótulos. Além disso, houve presença de marcas nacionais em várias atividades do evento, desde o jantar de abertura, no Copacabana Palace, até as garrafas servidas dentro do Wine Bus ou os servidos e leiloados no hotel Fasano. 

 

O Estrelas do Brasil Brut Champenoise, levou a melhor em uma prova às cegas surpreendente entre espumantes nacionais contra de outros países, incluindo champanhe, cavas, proseccos, argentinos e chilenos. Foram 26 "jurados", entre enólogos, sommeliers e enófilos. Nomes como Adriano Miolo, diretor do grupo Miolo, Dirceu Scottá, vice-presidente do Ibravin, Duda Zagari, importador carioca, João Carlos Callas, importador de São Paulo, o enoviajante, Horácio de Barros, e Roberto Rodrigues, diretor da ABS Rio e especialista em espumantes estavam presentes. O rótulo produzido no sul do país foi escolhido quase que por unanimidade. 

 

Já a degustação Brasil de Guarda, apresentou vinhos brasileiros de 10 a 40 anos de idade. O objetivo era atestar que o Brasil tem vinhos de qualidade e já com idade avançada, algo ainda desconhecido por grande parte da população. "Provar vinhos brasileiros feitos nas décadas de 1970, 1980 e 1990, em perfeito estado é não apenas emocionante e didático, mas também certeza de que nossos vinhos têm qualidade e potencial de envelhecimento" comenta Marcelo Copello.

 

Evento reuniu 500 rótulos de vinhos nacionais e estrangeiros

 

Só a Feira Show, grande novidade de 2014, reuniu em um único dia 1.100 pessoas, 34 expositores e cerca de 500 rótulos de vinhos nacionais e estrangeiros.

 

O seminário Vinho & Mercado, realizado nos dias 16 e 17, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), com apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e da Associação Portuguesa de Cortiça (Apcor), contou com palestras e debates ricos em conteúdo, deixando o público entusiasmado com a ação. Um ponto foi comum nas palestras, a necessidade de tornar mais simples a comunicação do vinho, tornando a bebida de Baco mais acessível à todos.

 

A semana agitada, ainda contou com jantares harmonizados, degustações, incluindo provas de vinhos raros, promoções em lojas, bares, restaurantes e supermercados. Destaque para a Degustação de Porto Raros, que contou com vinhos de safras antigas como 1938 e 1941 e até do século XIX.  O Porto Jubileu, degustado nesta prova, é composto majoritariamente pela safra de 1867, a safra mais antiga existente em barricas.

 

Em outra das provas especiais da semana, a Degustação Triplice Exellence, apresentada pelo criador do grupo O. Fournier, José Manuel Ortega, os convivas puderam testar vinhos das três vinícolas da empresa, com sedes na Argentina, Chile e Espanha, incluindo algumas das garrafas da adega pessoal do proprietário.

 

No dia 2 de novembro, ainda como parte da programação do festival, acontece a Grande Prova Vinhos do Brasil, que será publicada no Anuário Vinhos do Brasil. O evento promete reunir na cidade maravilhosa cerca de 1,5 mil garrafas de vinhos brasileiros avaliadas às cegas por um grande júri.

 

Leilão de Vinhos Beneficente  

 

O encerramento do Rio Wine and Food Festival, foi no hotel Fasano, com a realização do Leilão de Vinhos Beneficente. Um selecionado grupo de 60 pessoas prestigiou a noite beneficente, em prol do Solar Meninos de Luz, instituição filantrópica fundada por Iolanda Maltaroli e de Moraes Rego há 30 anos. Com 50 lotes leiloados, por Adilson Rachid, foram arrecadados R$ 65 mil reais.  

 

Destaque para o Chateau Margaux 1989, de seis litros, doado pelo marchand Jones Bergamin, o Peninha, e Marcelo Copello. A garrafa foi arrematada por R$ 21 mil reais. Peninha, que não pode comparecer, ligou e convenceu o comprador a lhe revender por R$ 27 mil reais. Todo o dinheiro foi imediatamente revertido para o Solar Meninos de Luz. 

Deixe seu comentário