Food Service

Notícia

Vendas em bares e restaurantes devem crescer até 50% no Ceará

A chegada de turistas à capital cearense promete movimentar o setor

20/07/2016

Mesmo em período de dificuldades econômicas, os proprietários de bares, restaurantes e barracas de praia de Fortaleza não estão deixando de contratar trabalhadores temporários para atender à demanda desta alta estação. A expectativa é que, nesta segunda quinzena de julho, as vendas subam até 50% sobre os primeiros 15 dias, com a chegada de mais turistas à Capital cearense.


Esta época de alta temporada, no entanto, está deixando a desejar em relação a outros meses de julho. "Esperamos uma queda de 10% em relação ao ano passado, mas devemos ter uma melhora na segunda quinzena de julho, que tradicionalmente é melhor", afirma o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel), Rodolphe Trindade.

Segundo ele, o setor vem sendo impactado com a baixa nas vendas, algo que foi mais intenso nos meses de abril, maio e junho. Para atrair a clientela, boa parte das 250 empresas associadas à Abrasel está fazendo promoções e buscando alternativas para não repassar o aumento dos custos com insumos aos consumidores.

 

Cardápio

"Muitos empresários evitaram reajustar os preços dos itens e reformularam seus cardápios, diminuindo a oferta de pratos, por exemplo, para economizar na compra de materiais", acrescenta Trindade", torcendo para que a situação da economia brasileira melhore até o fim do ano.

Em relação às vagas temporárias de trabalho, o presidente da Abrasel destaca que as contratações continuam sendo feitas, só que em menor quantidade. As empresas, que nesta época do ano costumavam aumentar o quadro de seus funcionários de 15% a 25%, estão bem mais cautelosas.

"Por causa da crise, temos funcionários acumulando duas funções. Infelizmente, não temos como deixar uma pessoa fazendo apenas um serviço, caso contrário, fechamos as portas", diz.

O vice-presidente da Associação dos Empresários da Praia do Futuro (AEPF), Ivan Assunção, adianta que as contratações temporárias nas barracas de praia estão variando de 5% a 10% do quadro de funcionários. Quanto à movimentação de turistas, ele reforça que a segunda quinzena deverá ser melhor, chamando a atenção para o Fortal, tradicional micareta da cidade que neste ano ocorre de 21 a 24 de julho.

"O Fortal é um fator impulsionador do turismo de Fortaleza, mas o público costuma se concentrar mais nos dias do evento, de quinta-feira a domingo. Precisamos lembrar também das famílias que vêm à cidade e ficam por mais tempo", observa Assunção. Sobre a retração nas vendas em julho deste, ele diz que os empresários da Praia do Futuro preveem retração, mas ainda não estimam o percentual.

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe seu comentário