Food Service

Notícia

Saiba como manter seu negócio saudável durante a crise

Criatividade para atender ao cliente e disciplina na gestão são formas de manter estabilidade e fomentar crescimento

20/06/2016

O mercado de alimentação fora do lar, que contempla restaurantes, lanchonetes, padarias, pizzarias e bares, entre outros, segue crescendo, apesar do mau momento na economia. O setor, que faturou R$ 60 bilhões em 2015, deve crescer 7,7% neste ano, de acordo com o Instituto Food Service Brasil (IFB).

No entanto, o ritmo de expansão é menor que o dos últimos anos. Entre 2011 e 2015, o setor cresceu em média 9% ao ano. “Em momentos de crise, há pessoas que preferem ficar em casa do que sair para comer”, diz Clélia Iwaki, diretora da feira Fispal Food Service.

Segundo Clélia, até os restaurantes localizados próximos a regiões comerciais devem ficar atentos. “Durante a semana e em bairros com muitas empresas, sempre haverá pessoas querendo comer. No entanto, elas poderão ir a locais mais baratos que os que costumavam escolher”, afirma.

De acordo com a diretora da feira, quem deseja abrir um negócio ou já comanda uma empresa de alimentação fora do lar deve estar atento a tendências e cuidados deste mercado. Saiba quais são eles:

 

1. Capriche na culinária saudável
Oferecer opções saudáveis e pouco calóricas é uma tendência que não pode ser ignorada, principalmente para quem está próximo a pontos comerciais. “É importante ter alguma opção de salada e um grelhado no cardápio”, diz Clélia.

 

2. Tendências não são garantia de sucesso
Além da culinária saudável, outra nova modalidade de negócio que está virando tendência são os food trucks. De fato, os negócios sobre rodas permitem que os empreendedores levem a operação para diferentes locais, o que pode ser um diferencial interessante.

Apesar disso, Clélia alerta que é essencial se planejar bastante antes de abrir o seu food truck. “Antes de tudo, deve-se pesquisar a legislação da cidade do empreendedor e ver as regras do município para este tipo de negócio. Como este é caro, faça um estudo aprofundado sobre as preferências e o poder aquisitivo do seu público-alvo antes de investir.”

 

3. Fidelize
Faça com que seus clientes voltem sempre que possível. Capriche no atendimento e ofereça o preço mais justo que puder.

Uma estratégia simples é a criação de um cartão fidelidade, que premia com uma refeição grátis o consumidor que fizer um número mínimo de visitas ao seu estabelecimento.

 

4. Evite o desperdício
Para ter um preço final competitivo e uma boa margem de lucro, os empreendedores devem ser eficientes.

O desperdício é o grande vilão de quem vende comida. “A compra e a estocagem de produtos deve ser inteligente, a fim de que nada estrague e o empreendedor perca dinheiro”, afirma Clélia, lembrando que os gastos de água e energia devem ser os menores possíveis também.

 

5. Tenha um grande time
As compras bem feitas e a economia só serão efetivas se houver funcionários competentes o bastante para seguir as ordens do empreendedor. Por isso, retenha seus bons empregados. “E quando for contratar, assegure-se de que o profissional saiba evitar o desperdício”, afirma Clélia.

 

Fonte: PEGN

Deixe seu comentário