Food Service

Notícia

Saiba como gerar vendas através do marketing digital

Manter uma presença forte no ambiente online é fundamental. Ferramentas como whatsapp, e-mail marketing, entre outros meios, podem impulsionar seu negócio

O marketing não é uma ciência exata e para se destacar no mercado é preciso se adaptar às suas constantes transformações. E é inegável que hoje um dos meios de comunicação que mais crescem é a internet, consolidada como uma das formas de divulgação mais eficientes e acessíveis, visto que tem um custo relativamente baixo. Dentro do ambiente virtual há ainda diversas possibilidades, mas nenhuma delas é a mais adequada, cada mídia tem uma função diferente dentro do processo de marketing. Algumas são melhores para atendimento outras para divulgação da marca ou para relacionamento e fidelização. “É preciso entender a função de cada mídia e como usá-la dentro de um ‘composto’ de marketing”, define Olímpio Araújo, professor do Gestor de Marketing Digital.

Para Fabio de Francisco, sócio-fundador do Grupo Bares SP, as comunicações digitais devem “inspirar” os clientes e fazê-los ir até o estabelecimento para ter a experiência presencial. “Antigamente era fácil conquistar um cliente e difícil mantê-lo. Atualmente, com a quantidade de alternativas e a enxurrada de informações, é difícil conquistar o cliente, e continua sendo difícil manter este cliente. Mais difícil ainda é inspirar o cliente, para que este possa compartilhar a experiência com seus amigos e passar a ser um indicador do estabelecimento. Porém, não vamos pensar nas dificuldades e sim sermos criativos para vencer todos esses desafios”.

 

Conteúdo relevante gera mídia espontânea e interatividade

Quando falamos de marketing não estamos falando apenas de publicidade. Existe a propaganda indireta, e a melhor forma de gerar mídia espontânea é através da criação de um conteúdo relevante, que também traz interatividade com seu leitor e possível cliente. “Para gerar interatividade é preciso desenvolver uma estratégia usando conteúdo útil e relevante para seus usuários, e para isso é necessário conhecer bem esse público, quais são suas principais dúvidas, interesses, dificuldades ou desejos, e produzir conteúdos baseados neste estudo”, sugere Araújo.

Fabio de Francisco cita ainda alguns exemplos de conteúdo. “Uma cafeteria que tem um cardápio do coquetéis de café com álcool, sem álcool, quente ou gelado, ao colocar a receita com fotos de como fazer esse coquetel gera interesse do usuário que busca esse tipo de informação. Caso a cafeteria tenha um workshop de café com degustação de grãos, ela pode atingir os amantes de café, que têm grande possibilidade de achar essa experiência incrível. Indicamos ao estabelecimento trabalhar com as datas comemorativas, como por exemplo jantar para os namorados, área kids no mês das crianças, degustação de caipirinhas para o mês das mães, workshop de cerveja especial no mês dos pais, e por aí vai. Independente do conteúdo, a grande importância é que a página siga a identidade visual do estabelecimento. O importante é encontrar o seu DNA e gerar conteúdo relacionado a ele”. 

O conteúdo é importante porque é um dos fatores determinantes para obter resultados no meio digital. Diogo Ortiz, sócio-diretor do Grupo OC, explica que ao tornar o site do estabelecimento dinâmico com atualizações frequentes, aumenta a interatividade com seu público e as possibilidades de ser visto por novos clientes, pois cada vez que cria uma página com um novo conteúdo os buscadores irão indexar a url da mesma, e quando alguém buscar uma palavra-chave relacionada a um dos textos escritos, possivelmente acessará o seu site. “O conteúdo criado poderá ainda engajar o leitor, que irá compartilhar com sua rede de contatos, aumentando ainda mais sua visibilidade. Vale ressaltar que para obter tais resultados é importante que o site seja otimizado e responsivo – se adapte a celulares e tablets, assim aumentará ainda mais suas possibilidades de resultados”.

Além da relevância do conteúdo, as métricas do Google avaliam vários tópicos de seu site, como configurações técnicas aplicadas, velocidade de carregamento, tempo de vida do site, quantidade de acessos, imagens condizentes e configuradas, títulos e subtítulos, entre outros. “O resultado no ranking do Google aumenta demais e gera negócio para o estabelecimento, seja em médio ou longo prazo. Esse trabalho de otimização do Google, também conhecido como SEO, é difícil de ser realizado, tanto pela parte técnica quanto pela parte de conteúdo.”, afirma Fabio de Francisco. 

 

Quais as redes sociais mais apropriadas? 

O Facebook é a maior rede social do momento, tanto em número de usuários quanto em relacionamento, isto é, tem muita interação, com comentários e compartilhamentos. Porém, não existe uma mídia mais relevante, tudo depende de vários fatores, como o público que se quer atingir, sua estratégia e posicionamento do produto. Uma mídia pode dar um excelente resultado para uma empresa e um resultado fraco para outra do mesmo setor, tudo depende de como ela é usada. É importante usar o máximo de canais que estiverem disponíveis e alavancar as ações nos que gerarem melhor resultado.

 

 

No Facebook, a grande vantagem é todos estarem logados, isso faz com que o perfil do usuário esteja totalmente mapeado. Então para fazer um anúncio fica muito simples e você pode especificar o perfil do público a ser atingido, escolhendo características como sexo, idade e localização. Fabio de Francisco explica que no caso de um público mais novo, o Instagram ou Snapchat pode funcionar melhor do que o Facebook. “Já para uma empresa mais tecnológica, pode fazer mais sentido o Google do que as redes sociais. O Twitter não é utilizado praticamente no setor food service, tanto pelas suas limitações quanto pela falta de engajamento dos usuários, assim como o Linkedin, mais voltado para o mundo corporativo, podendo ser utilizado mais para localizar pessoas responsáveis pelos eventos corporativos das empresas grandes principalmente”.

Uma das redes mais novas é o Snapchat, ainda pouco explorada no mercado de alimentação fora do lar. Voltada, como citado anteriormente, para um público jovem, tem como diferencial ser uma rede social de compartilhamento de fotos e vídeos que tem um tempo de duração máxima definido por quem enviou. Os usuários do snapchat preferem assistir eventos globais na função ao vivo. Já o Instagram é bem válido devido ao fato dele possibilitar engajamento dos consumidores. O ideal é contar histórias e envolver os seguidores com fotos próprias. Usar uma #hashtag do estabelecimento ajuda bastante quando os usuários do Instagram fazem busca pelo nome do estabelecimento ou de algum tema específico. Como se trata de uma rede 100% focada em imagem, é ideal apenas para quem tem imagens vendedoras de produtos e serviços.

 

Olímpio Araújo, professor do Gestor de Marketing Digital

 

Whatsapp é uma forma eficiente de atingir o público, porém, trabalhosa

Hoje o Whatsapp é o maior meio de comunicação, sem contar que as pessoas andam com o celular na mão 24 horas. Por isso, essa ferramenta não pode ser esquecida, sendo um ótimo canal para atendimento ao cliente e também para divulgação. O único problema é a dificuldade de enviar mensagens a um grande número de pessoas. Grupos possuem limite de participantes e o envio para todo o mailing geralmente é manual, já que sistemas de disparo automáticos possuem custo elevado. “O disparo manual é trabalhoso, porém, com o WebWhatsapp fica mais fácil gerenciar os contatos do estabelecimento e vale muito a pena”, destaca o sócio-fundador do Grupo Bares SP.

 

 

Estar em diversos canais é positivo apenas se puder responder prontamente

Você não precisa usar todas as ferramentas que tem em mãos para divulgar produtos o tempo todo. Isso desgasta e até afasta seu público. As formas mais indicadas são as que o estabelecimento possa atender o melhor e mais rápido possível. “Não adianta ter Whatsapp e responder dois dias depois. O cliente sempre espera um atendimento ativo, seja por e-mail, rede social ou Whatsapp. Sempre indicamos todas as formas de comunicação, atendendo cada cliente da forma mais adequada para ele”, sinaliza Fabio de Francisco.

 

Fabio de Francisco, sócio-fundador do Grupo Bares SP

O e-mail marketing ainda pode ser eficaz

Ainda tem grande relevância, porém, com as políticas de anti-spam, a maior parte dos e-mail-marketing vão para a lixeira. Por isso a necessidade de utilizar uma plataforma adequada de gerenciamento e disparo, pois através dela é possível ver quem recebe, qual e-mail dá erro e o que dá mais resultado. O e-mail marketing pode ser usado de várias maneiras, não apenas para fazer propaganda. Dentro de uma estratégia bem definida de comunicação, uma identidade visual adequada, clean e vendedora, é mais uma plataforma pelo qual é possível gerar negócios e manter o relacionamento com o cliente em longo prazo.

 

Compra coletiva é uma estratégia para gerar experimentação, não lucro

As compras coletivas ficaram com uma imagem negativa, pois no começo muitos estabelecimentos tiveram experiências fracassadas. Os sites exigiam muito desconto e alguns restaurantes não conseguiam atender bem os clientes. “As compras coletivas foram mal utilizadas porque muitas empresas as entendiam como uma forma de vender em grande volume e lucrar com isso, mas na verdade a compra coletiva é uma estratégia para gerar experimentação de seu produto, serviço ou estabelecimento. Se ela for aplicada da maneira correta ainda pode dar resultados, em especial agora que a ‘moda’ já passou e menos empresas estão fazendo isso”, avalia Olímpio Araújo.

Fabio de Francisco diz que muitas empresas estão tendo resultados com este tipo de mídia e que, mesmo quem não quer ter uma plataforma desta por custo, pode utilizar soluções super baratas e de fácil manutenção hoje em dia com a “popularização da internet”. O especialista conta um case de sucesso. “Um estabelecimento que vendia comida árabe em sites de compras coletivas ofertava uma lista somente de comida e na hora da experiência entregou uma taça de espumante sem custo para o cliente, o que fazia com que ele se sentisse bem atendido, independente do desconto. Hoje, após ser super bem sucedido, este estabelecimento tem sua própria plataforma de compra coletiva”.

 

Promoções e vendas pela internet geram negócios com praticidade

Quanto mais facilitar a compra de seus usuários por sites ou aplicativos, melhor será sua conversão de vendas. O brasileiro está muito acostumado a consumir serviços pela internet e tem confiança nas plataformas existentes. Segundo Fábio de Francisco, os agregadores de promoções e reservas são mais um ponto de divulgação do estabelecimento e conseguem trazer novos clientes para o negócio. “O e-commerce é outra forma de relacionamento com o cliente, principalmente aquele que gosta de comprar on-line e ter certeza que vai poder usufruir do serviço. Você pode vender um combo de comida para entregar uma experiência no ponto de venda ou um artigo de merchandising, como uma caneca de chopp, uma xícara, um avental, uma camiseta, entre outros”.

 

Nutty Bavarian busca interatividade nas mídias sociais através de promoções

Estar com seu negócio fora da mídia digital é o mesmo que pedir para não ser visto. Danilo Tanaka, diretor de marketing da Nutty Bavarian também pensa assim. Para ele, ignorar estes canais é jogar fora um público que faz toda diferença. A marca busca manter um relacionamento engajado e interativo com seus clientes e leads por meio das redes sociais. Na página do Facebook já são mais de 174 mil curtidas. Mas garantir sucesso com o público virtual requer entrar na dança desse pessoal. Por isso, além de receitas, posts institucionais e notícias sobre a empresa, o internauta ainda se depara com postagens que fazem ligação entre o produto da Nutty Bavarian e os famosos memes. Falar a linguagem do público-alvo de seu produto, jovem, no caso da empresa, garante um entendimento melhor da mensagem e, com isso, aproximação. 

Trabalham também com Instagram, Twitter e Youtube, mas a maior presença está no Facebook, que recebe cerca de cinco posts por semana, bem como lançamentos e promoções. A mais recente foi a “Loucos Por Nuts”, que resultou em mais de 65 mil cadastros. A nova campanha foca no lançamento do filme “A Era do Gelo 5”, com a criação de bowls colecionáveis. O portal da Nutty Bavarian também passa por uma reformulação para otimizar as buscas pelo Google. A marca busca ainda realizar vendas diretas pela Internet.

 

 

Anúncio inovador que aguça os sentidos foi aposta da Madero 

A Madero ainda foi mais além. Atendendo à fome de muitos desde 2005, a rede de restaurante decidiu aguçar ainda mais o paladar brasileiro. Um grande e recente case de sucesso da empresa foi a Fome Virtual, mas como isso funciona? Simples.  Eles utilizaram o Cinemagraph, um recurso que movimenta apenas uma parte da foto, enquanto o restante fica totalmente intacto, para estimular os sentidos dos expectadores. Imagina só que perto da hora do almoço você se depare com um hambúrguer suculento que saia fumaça, indicando que acabara de ser feito? Ou até mesmo uma cerveja geladinha, suada, com a água escorrendo pelo copo, quase perto do Happy Hour. É isso que a Madero fez. 

A estratégia digital é composta de várias mídias como Google, Facebook, Instagram e Waze. “Utilizamos tanto o Facebook quanto o Instagram para explorar as imagens e despertar o desejo de consumo”, afirma Gustavo Hana, CEO da GhFly, responsável pela campanha. “Passamos a investir quantias cada vez maiores em marketing digital segmentado. Além do trabalho constante em buscas e display através do Google AdWords, realizamos campanhas segmentadas e pontuais no Facebook. Notamos que esta forma de divulgação tem alcance mais significativo, além de incentivar a interatividade do consumidor com o Madero”, completa Leandro Lorca, diretor de Marketing da Madero. Entre outras formas de gerar engajamento online, a Madero realizou uma ação no Rio de Janeiro para inauguração de mais uma unidade. O tema era “O Rio de Janeiro vai ficar ainda mais lindo”. A repercussão alcançou 600 mil pessoas, atingiu 8 mil likes e mais de um milhão de impressões na rede. A Madero também marca presença em uma rede bastante utilizada pelos motoristas: o Waze. A ação consiste em anúncios onde a empresa consegue mensurar o número total de navegações até cada uma das unidades e ajuda as pessoas a encontrarem os restaurantes com mais facilidade.

 

Nescafé muda site para fortalecer relacionamento com público jovem

A Nescafé® acaba de lançar um novo site em formato de Tumblr.  A marca, que já tem alto desempenho em mídias sociais da Nestlé, com mais de 35 milhões de fãs no mundo inteiro, está buscando fortalecer o relacionamento com o público jovem. A nova forma de conexão entre os consumidores e a marca serve como fonte de inspiração para Nescafé® desenvolver novas criações, experiências sensoriais e momentos compartilhados com o produto. Com o novo site no formato de Tumblr, a marca também passa a oferecer uma plataforma de compras online, otimizada para uso em celulares e tablets. A novidade permitirá aos consumidores pesquisar e comparar preços de todos os produtos de seu portfólio. 

Outro destaque desta plataforma é o contador de xícaras, localizado no link ‘Selecione o País’, que calcula a quantidade de Nescafé® tomada enquanto o usuário permanece no site. Em dois minutos, por exemplo, são consumidas 660 mil xícaras do produto no mundo inteiro. O site traz ainda informações e curiosidades sobre o mundo do café, além de mostrar todo o trabalho que a Nestlé realiza para apoio aos produtores por meio do programa Nescafé® Plan.

 

Light chef foca no marketing de conteúdo e atrai para sua loja virtual

A busca por comida saudável tem feito com que empresas do ramo se destaquem. A Light Chef é uma delas e, para conquistar cada vez mais seu público, ela sabe onde deve ir: nas redes sociais. Para não cair na mesmice da propaganda, as redes da Light Chef, principalmente Facebook e Instagram, focam no marketing de conteúdo, ou seja, gerar informação que esteja ligada com o produto oferecido. “É extremamente desagradável um canal que envia apenas propaganda. Nossos clientes são pessoas que se preocupam com a saúde e bem estar, então sempre postamos dicas para algum esporte, o que comer antes de uma corrida”, pontua Felipe Dubau, diretor da Light Chef.

Além disso, a Light Chef aposta no Inbound Marketing. “Trabalhamos com captação de potenciais clientes através de e-books e conteúdos interessantes, onde a pessoa pode optar por receber nossos e-mails frequentemente. Analisamos cada pessoa: o que ela gosta de receber, quais e-mails ela costuma abrir e clicar, etc. Assim, sabemos também as que mais gostam de receber algum cupom ou desconto, por exemplo”, explica. Para aperfeiçoar ainda mais o marketing de conteúdo, a Light Chef quer investir em um blog dentro do site já existente. “Sabemos da importância de ter bastante conteúdo relevante em nosso site para otimizar nossa visibilidade nos buscadores, e essa será nossa próxima ação”, conta.

 

Deixe seu comentário