Food Service

Notícia

Restaurante sob rodas

A Truckvan, maior fabricante de unidades móveis do Brasil, mira no mercado de food trucks

22/02/2016

A história da Truckvan começou em 20 de janeiro de 1992 em um contêiner na Vila Guilherme, zona norte de São Paulo (SP), onde não era possível fabricar novos baús de alumínio, somente reformá-los. Mesmo com o aumento nas vendas, os sócios Alcides Braga e Flavio Santilli enfrentaram dificuldades, até que, em 1996, com o início da estabilização derivada do Plano Real, muitas empresas fecharam, o que abriu uma oportunidade para a empresa finalmente produzir baús com tecnologia própria e unidades móveis.

 

Responsáveis pelo expressivo crescimento da Truckvan nos últimos anos, os veículos feitos sob encomenda variam de R$ 100 mil a R$ 3 milhões, dependendo das solicitações do cliente. “Investimos nesse mercado de carretas customizadas ao perceber a necessidade que as empresas tinham de ter mais mobilidade e praticidade para desenvolver seus projetos e atender aos anseios da população que mora em lugares onde o acesso é restrito a serviços, hospitais e escolas de capacitação profissional”, afirma Santilli.

 

 

Atualmente, a empresa possui quatro fábricas - sendo duas em São Paulo, uma em Guarulhos (SP) e outra em Duque de Caxias (RJ) - e mais de 400 funcionários. Fechou o ano de 2014 com faturamento de R$ 145 milhões, o que corresponde a um crescimento de 625% nos últimos seis anos – em 2008 o faturamento foi de R$ 20 milhões. A empresa já produziu mais 45 mil baús de alumínio e entregou cerca de 600 unidades móveis para clientes como o Senai/Senac/Sesi, Centro Paula Souza, Volkswagen Automóveis, Scania, Mercedes Benz, MAN Latin América, Raízen, Siemens, IBM, SOS Mata Atlântica, Projeto Cies, Sindipan, prefeituras e governos estaduais e federal, entre outros.

 

Aposta nos food trucks

 

Depois de 24 anos no mercado de implementos rodoviários e customização de veículos para diversas áreas, a Truckvan decidiu investir fortemente no mercado de food trucks a partir de maio de 2014, quando a lei que regulariza o comércio de comida de rua foi aprovada pela prefeitura de São Paulo. “A Truckvan se motivou ainda mais a apostar nesse novo modelo de negócio por já ter experiência na customização de veículos para diversas áreas e por possuir uma ampla estrutura fabril com equipe de especialistas em engenharia, elétrica, hidráulica e mecânica. Desta forma, a empresa tem capacidade para desenvolver restaurantes sobre rodas de acordo com a necessidade de cada cliente, contribuindo e estimulando o empreendedorismo no Brasil”, explica Alcides Braga.

 

 

Para se ter uma ideia, a Truckvan ampliou em 135% sua produção de cozinhas móveis em 2015 em relação a 2014, fechando o ano com 47 unidades entregues, oito modelos em produção e um faturamento de, aproximadamente, R$ 4 milhões, o que corresponde ao dobro do resultado obtido no ano anterior, quando encerrou com 20 cozinhas móveis fabricadas. A Truckvan já entregou, ao todo, 67 food trucks desde maio de 2014 até 31 de dezembro de 2015, em cidades de vários estados, pois possui um Departamento de Assistência Técnica que atende em qualquer região do País, como Altamira (PA), Porto Velho (RO), Londrina (PA), Fortaleza (CE), Recife (PE), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), entre outras.

 

“Para 2016, a Truckvan pretende se consolidar como a maior fabricante de food trucks do Brasil e entregar, em média, 15 unidades por mês. Para alcançar esse número, incorporamos a nossa estrutura uma fábrica de 4,5 mil m² em Duque de Caxias (RJ), que tem ampla experiência na produção de cozinhas móveis, tendo, inclusive, desenvolvido o primeiro restaurante sobre rodas carioca, o Larica Gourmet, e o SudTruck, unidade itinerante da chef de cozinha Roberta Sudbrack (eleita pela revista inglesa Restaurant a melhor chef mulher da América Latina), entre outras”, revela Braga.

 

 

Mercado promissor

 

Muitas cidades ainda não regulamentaram a atividade, o que deve acontecer ao longo do tempo, criando mais oportunidades de negócios. “Com as leis que regularizam o comércio de comida de rua sendo aprovadas em outras cidades, os empreendedores se sentirão cada vez mais estimulados a abrir o seu negócio próprio e o mercado de food trucks deve crescer exponencialmente”, afirma Alcides Braga. “Os food trucks são uma ótima alternativa de investimento, pois têm a vantagem da mobilidade, de ir até o consumidor, promovendo a marca e conquistando novos clientes a cada evento, além de não ter que pagar aluguel de um estabelecimento fixo e só precisar de, no máximo, seis funcionários para a operação”, completa o sócio-diretor da Truckvan.

 

A dica do especialista para quem deseja investir em um food truck - interessante também para marcas que possuem loja física, pois cria a vantagem da mobilidade de ir até locais que não possuem esse determinado estabelecimento, conquistando novos clientes - é pesquisar bastante e não agir por impulso. “É extremamente importante conhecer as estruturas das fabricantes, verificar se elas seguem todas as normas de segurança e vigilância, conversar com donos de food trucks para pegar dicas e orientações sobre o mercado e, claro, fazer um plano de negócio e ter um diferencial de cardápio e visual para seu food truck se destacar em relação a tantos concorrentes”.

 

 

Como transformar um veículo e um restaurante sobre rodas

 

Juntamente com todas as pesquisas, o primeiro passo antes de iniciar a produção é saber qual tipo de food truck se adapta ao seu orçamento e ao seu negócio. Seu restaurante móvel pode ser um trailer, um furgão ou um baú sobre chassi. Após essa definição é preciso escolher os equipamentos de cozinha e montar um layout interno de forma que otimize a produção e finalização do cardápio até a entrega aos clientes. “Vale lembrar que esses equipamentos podem ser 100% elétricos ou a gás. Em paralelo, já comece a elaborar toda comunicação visual externa, logomarca, embalagens e redes sociais”, sugere Romulo Jesus, gerente comercial de food trucks da Truckvan.


O especialista conta que após a escolha de modelo de negócio, produção estrutural e instalações elétricas e hidráulicas, fixação de equipamentos de cozinha e aplicação da comunicação visual, o food truck é limpo, testado e feito uma entrega técnica para os nossos clientes. “Como somos homologados para fazer essas adaptações e customizações, junto com tudo isso preparamos uma pasta com a documentação necessária que um restaurante sobre rodas precisa para conseguir as licenças junto aos órgãos competentes e poder trabalhar nas ruas sem problemas”, explica o gerente, que aconselha: “Nem é preciso dizer que sorriso no rosto também faz parte não é? Os clientes vão até você buscar boa comida e afeto, nunca se esqueça disso”.

 

 

Clientes

 

La Polenta Food Truck (polentas cremosas e fritas): Adquiriu primeiro um food truck trailer e o deixou o ponto fixo no Butantã Food Park. Depois de seis meses resolveu apostar em um food truck sobre chassi de um Iveco para ser itinerante e se deslocar com mais facilidade para diversos eventos. Diante do sucesso destes dois food trucks, o proprietário Alex Righi investiu em um restaurante fixo para oferecer um cardápio mais amplo e ter um local em que as pessoas que se tornaram fãs de suas polentas pudessem ir sempre que quisessem.

 

 

El Favorito Food Truck (comida argentina): Investiram primeiro em um food truck sobre chassi de um caminhão Chevrolet 6400 anos 1950 e depois de menos de um ano adquiriram mais dois food trucks sobre chassis de dois modelos Iveco.

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário