Food Service

Notícia

Rede de hotdogs enormes fatura mais de R$ 1 milhão por mês

Com 16 lojas espalhadas pelos estados do Nordeste, a franquia Oh My Dog! vende mais de 130 mil lanches por mês

15/02/2016

 

 

 

Empreender é, muitas vezes, desafiar as tendências. Foi o que fez o empreendedor de Fortaleza (CE) Jorge Kubrusly, 28 anos. Em 2012, na contramão da tendência do mercado de alimentos mais saudáveis, ele fechou seu restaurante especializado em kebabs e investiu em uma lanchonete de hotdogs imensos e super recheados, com lanches que chegam a 32 centímetro de comprimento e milhares de calorias.

 

 

Kubrusly e seu irmão Victor, 27 anos, analisaram o mercado de todos os alimentos que conheciam. Juntos, perceberam que o cachorro-quente era a comida menos explorada na região. Depois de escolher o tipo de lanche, foi preciso pensar em uma estratégia para o negócio que, segundo Kubrusly, foi bem simples. “Pensamos que tudo que um hotdog precisava ter para ser diferente era tamanho acima do normal, com preço abaixo do normal.”

 

 

Para abrir a lanchonete Oh My Dog!, Kubrusly usou R$ 60 mil que conseguiu com o primeiro restaurante. O capital seria usado para reforma e capital de giro. Mas a obra consumiu 100% do valor e os empreendedores “precisavam vender os lanches do jantar para pagar os do almoço”. Após 90 dias, a lanchonete já tinha acumulado um montante de R$ 30 mil, que foi usado para pagar a formatação da franquia. Hoje, a rede de lanchonetes já conta com 16 lojas, espalhadas por cidades do Maranhão, Piauí, Paraíba e Ceará.

 

A escolha da prática de preços mais baixos ajudou a lanchonete a formar seu público, mas outro grande atrativo oferecido pela Oh My Dog! foram os molhos exclusivos, com receitas secretas, combinados com as coberturas exageradas e inovadoras. “A gente fez com o cachorro-quente o que já tinha sido feito com a pizza.  Transformamos o alimento em uma base na qual trabalhamos diversos sabores. Tanto que, hoje, o hotdog com estrogonofe é o lanche mais vendido da nossa rede”, afirma.

 

 

 

 

Fonte: pegn

 

 

Deixe seu comentário