Food Service

Notícia

Produção de refrigerante deve subir 5 por cento

Mudanças no Simples Nacional e no modelo tributário formam cenário positivo

21/01/2015

As fabricantes de refrigerantes esperam obter um desempenho mais favorável neste ano, devido principalmente às mudanças no programa Simples Nacional e no cálculo da carga tributária para bebidas frias.

 

A Associação dos Fabricantes de Refrigerante do Brasil (Afrebras), que representa 150 pequenas e médias indústrias estima que a produção neste ano pode crescer em torno de 5%, se o novo Simples Nacional for aprovado. "O cenário está mais favorável para o setor de bebidas. Se tivermos um verão quente, as vendas serão muito boas", disse Fernando Rodrigues de Bairros, presidente da Afrebras.



Em 2014, o setor produziu 15,8 bilhões de litros de refrigerante, um aumento de apenas 1,46% em relação ao ano anterior. O governo federal vai enviar ao Congresso um pacote de mudanças para o Simples Nacional, incluindo o aumento da faixa de faturamento necessária para as empresas aderirem ao sistema. Poderão participar indústrias que faturam até R$ 14,4 milhões por ano, e não R$ 3,6 milhões, como é hoje. "Atualmente 30% do setor opta pelo Simples, mas se a proposta for aprovada, vai beneficiar 60% dos fabricantes", disse Bairros. Segundo ele, a expectativa de inclusão no Simples já tem estimulado algumas companhias a ampliar a produção de refrigerantes.



Ele também destacou como fator positivo o novo modelo de tributação para bebidas frias - água, cervejas, refrigerantes e isotônicos -, com alíquotas fixas sobre o valor da venda dos produtos. "Quem vender mais caro vai pagar mais caro, quem vender mais barato, paga menos", disse.


Fonte: Valor Econômico Online

Deixe seu comentário