Food Service

Notícia

Garrafa de cachaça premium acompanha ouro comestível

O criador da bebida pioneira, Leandro Dias luta para colocar o produto no hall de sofisticação

14/07/2016

Primeira cachaça com ouro do mundo

Na Mitologia Grega, o rei Midas era fortemente conhecido pelo seu poder de transformar tudo que tocava em ouro. Dos mais simples objetos, o monarca conseguia atribuir o alto valor da pedra dourada. Com o empresário Leandro Dias não é diferente. Ele conseguiu transformar uma bebida tradicional brasileira, a cachaça, em item de sofisticação e, literalmente, em ouro. Bom, quase. A garrafa de Middas acompanha um saquinho de ouro comestível que traz um ar de sofisticação à bebida. Essa é realmente a ideia: gourmetizar a cachaça. A bebida é puramente brasileira e já tem 500 anos. No entanto, só agora entrou no ramo premium de bebidas cada vez mais elitizadas. A ideia de inovar o produto com um toque de ouro reafirma essa posição de que a bebida tem tudo para atingir este espaço e alcançar o patamar mais alto do paladar brasileiro.


Juntar-se aos líquidos nobres é a meta para a cachaça a médio prazo. A produção artesanal da bebida em alambiques espalhados por todo país, aliada aos adicionais que chamam a atenção, é a forma que os produtores têm encontrado para garantir que o status da cachaça seja cada vez mais elevado. “Os brasileiros estão redescobrindo a cachaça”, afirma Dias. Isso porque o empresário já notou o aumento significativo da bebida nas cartas de bares e restaurantes Brasil afora. “Daqui a alguns anos, quem não tiver uma carta de cachaça para harmonizar com seu cardápio ficará para trás”, completa.


Audacioso e criativo, o idealizador da Middas atribui isso ao fato de que a cachaça tem tido seu processo de produção cada vez mais diferenciado. Ou seja, o foco não está mais na quantidade, mas sim na qualidade da bebida produzida.  Desde os 13 anos em contato com a cachaça, ajudando a vendê-la no bar de seus avós, o empresário tem propriedade suficiente para afirmar que o público que consome a bebida mudou muito com o passar dos anos. “O público está mais antenado em novas experiências e prazer sensorial do que simplesmente optar pelo álcool barato. Há algum tempo você nunca imaginaria a cachaça entrando em festas de baladas voltadas exclusivamente para o público A e isso a Middas conseguiu e permaneceu, pois o ouro é apenas a cereja do bolo, o que realmente importa é a qualidade do produto”, afirma.

 

“Os brasileiros estão redescobrindo a cachaça. Daqui a alguns anos, quem não tiver uma carta de cachaça para harmonizar com seu cardápio ficará para trás”

 

 

Middas

A bebida é produzida em pequena escala em uma cidade do interior paulista, Dracena. Em alambiques de cobre, são produzidos apenas 120 litros da bebida por dia. Após, ela é armazenada em tonéis de madeira de amendoim do campo, carvalho francês ou americano, onde descansam por no mínimo dois anos.  O ouro que compõe a bebida é importado da Alemanha, com certificado de pureza da União Europeia. Isso porque, para ser comestível, ele passa por um processo que retira todas as impurezas e só é colocado no mercado após exaustivos testes. 


Segundo Leandro, os brasileiros estão percebendo que a cachaça é a única bebida que pode dar prazer sensorial, inexistente em outros destilados. Devido à isso, a Middas tem aumentado sua presença em bares e restaurantes de todos os estados brasileiros, além de ter se consolidado com o público final.  “A Middas é uma bebida comemorativa que muitas pessoas gostariam de receber como presente. Por isso nosso maior alvo tem sido o consumidor final, porém, felizmente, vários bares e restaurantes agregaram a bebida a seus cardápios”, declara.


Recentemente, a Middas integrou a cartela de bebidas do restaurante do Chef Henrique Fogaça, um dos jurados do MasterChef, programa transmitido pela Band. No entanto, Dias ressalta que não importa o restaurante, o que vale mesmo é se os clientes querem ter uma nova experiência e se o lugar tem comida boa.  Afinal, cachaça vai bem com muitas coisas. Doces, salgados e até mesmo outras bebidas como cerveja e café. A combinação inusitada traz para um paladar mais aguçado um mix de sabores inconfundível e jamais imaginado por quem experimenta.  “Hoje em dia você consegue harmonizar cachaça com tudo, desde uma entrada com salada ou canapés, até o cafezinho ou chocolate. Posso falar sem medo que onde muitas bebidas destiladas ou fermentadas não conseguem encontrar uma boa harmonização, com a cachaça você sempre encontrará”, diz. 


Atualmente, Leandro tem 25 mil litros prontos para serem engarrafados. São dois tipos de bebidas. A Middas branca fica armazenada em tonel de amendoim do campo e é mais utilizada no preparo de drinks como a caipirinha. Já a Middas Reserva é armazenada em barris de carvalho francês e possui blend com a madeira de amburana. Harmoniza muito bem com chocolates, charutos, churrasco e doce de leite.

 

“O público está mais antenado em novas experiências e prazer sensorial do que simplesmente optar pelo álcool barato. Há algum tempo você nunca imaginaria a cachaça entrando em festas de baladas voltadas exclusivamente para o público A” 

 

Fórmula da cachaça

Para aprimorar cada vez mais o paladar do público cachaceiro, Leandro Dias lançou uma plataforma intitulada Fórmula da Cachaça. No espaço online, o empresário junto com o jornalista João Almeida, apresenta técnicas de análise sensorial e harmonização da cachaça, para melhores experiências, bem como o poder do consumo moderado para aproveitar cada vez mais a degustação da bebida. “Acreditamos que um consumidor bem informado tem mais prazer ao apreciar uma cachaça de qualidade. Nossa meta é poder ajudar as pessoas a terem novas experiências a cada gole. A cachaça representa a alma e cultura do Brasil. Já vivi em outros países e sei exatamente como os estrangeiros são apaixonados pela possibilidade de novos sabores e aromas. E como não ser atraído pela cachaça e suas experiências prazerosas sem fim?”, indaga.

Deixe seu comentário