Food Service

Notícia

Food Bike é nova tendência no mercado. Saiba como planejar o seu negócio

Muito mais prático e econômico, a nova onda do momento começa a brotar no Brasil, principalmente nas grandes metrópoles do país

27/04/2016

 

 

A tendência food truck, onde caminhões se transformam em verdadeiros restaurantes, cada vez mais comuns em feiras gastronômicas ao redor do mundo, começa a gerar novas vertentes e nichos de mercado para o segmento. Muito mais prático e econômico, a nova onda do momento é o food bike, que começa a brotar no Brasil, principalmente nas grandes metrópoles do país. Por isso, para quem deseja começar seu próprio negócio, preparamos algumas dicas importantes para iniciar esse planejamento.

 

 

As cozinhas em bicicletas parecem ser a tendência da vez no setor. Além de muito mais baratas e viáveis para se comprar, comparadas a um caminhão, toda a logística e possibilidades de comércio aumentam com um veículo muito mais simples e de prático manuseio. “Acho que é uma grande oportunidade de difundir o mercado gastronômico com investimentos mais baixo e retornos mais rápidos. Os empresários precisam estabelecer metas e montar um planejamento financeiro para ter melhor resultado e conseguir atender a demanda”, destacou a consultora BRF Food Services, Isabel Pisa.

 

 

O aumento de ciclovias em grandes centros urbanos como Rio de Janeiro e São Paulo é um outro fator para o crescimento do negócio. Para o chef Maurício Pinkusfeld, as questões ambientais também devem ser ressaltadas. “Vale muito a pena! Não usa combustível, é menor, de fácil adaptação e mais ecológica. É a melhor opção para um investimento inicial”, disse o especialista que, inclusive, pretende abrir um negócio do segmento no Rio. “Tenho um projeto em andamento para iniciar nesse mercado. Quero ter umas 10 bicicletas elétricas rodando pelo Centro do Rio, com uma cozinha base no bairro do Santo Cristo. Ofereceríamos exclusivamente sanduíches saudáveis, voltado também às questões de sustentabilidade”, finalizou.

 

 

Dicas para iniciar um food bike

 

 

Foco: A visão de negócio do food bike é um pouco diferente dos food trucks. Para servir pratos mais sofisticados, por exemplo, contando com uma estrutura limitada é mais difícil. Os food bikes têm como foco a alimentação rápida, como sanduíches, doces e bebidas.

 

 

Público-alvo: Identificar o público que você deseja atingir e quais são suas necessidades essenciais será útil para definir os produtos, o tipo de bicicleta, a localização e até mesmo a melhor forma para divulgar o negócio.

 

 

Cardápio: A dica mais valiosa de todas é: não complique. Ofereça um menu simples, de preferência já pronto, como docinhos, salgados, bebidas e sanduíches. Uma tendência é a gourmetização, ou seja, trabalhar com produtos conhecidos mas diferenciados, mais elaborados, como brigadeiros gourmet, brownies e sanduíches bem sofisticados.

 

 

Burocracias: Cada cidade tem sua legislação, por isso é necessário ficar atento. Veja qual município permite este tipo de negócio e em quais condições. Cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte já possuem legislação específica para esse comércio. Em locais que ainda não possuem regras, geralmente são aplicadas as normas relativas a vendedores ambulantes.

 

 

Custos: Uma das grandes vantagens do food bike é a economia. Para fazer a adaptação de uma bicicleta ou triciclo para trabalhar como food bike, os valores vão de R$ 2 mil, podendo nos casos mais sofisticados, alcançar R$ 15 mil.

 

 

Divulgação: Lembre-se que a divulgação do seu food bike passa pelos aspectos da bicicleta. Crie um modelo diferenciado, com cores chamativas e harmoniosas para atrair os olhos dos clientes. Em relação a veículos de comunicação e propaganda, a melhor forma é através da internet, pois atinge um público que tem a cara desse movimento. Atualmente, os melhores canais são Facebook, Twitter e até mesmo o Instagram.

 

 

Fonte: BRF Food Service 

Deixe seu comentário