Food Service

Notícia

Estudo inédito revela desafios e tendências para o food service

Intitulada As Reais Necessidades do Universo da Alimentação Fora do Lar, pesquisa foi apresentada no primeiro dia da Equipotel São Paulo

19/09/2014

No mercado de food service, as empresas que atuam no setor estão cada vez mais preocupadas com a qualidade em vez de preço. É o que aponta uma pesquisa inédita encomendada pela Equipotel São Paulo, organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, para entender as especificações e as necessidades do segmento. Segundo os dados coletados, 64% buscam qualidade, 27% preço e 9% estão atrás de prazo de pagamento. A pesquisa foi apresentada ontem, 15, primeiro dia da Feira de Hospedagem, Alimentação e Serviços, a maior do setor da América Latina, que acontece até dia 18, no Anhembi, em São Paulo. 

 

A pesquisa As Reais Necessidade do Universo da Alimentação Fora do Lar, realizada durante dois meses, por meio de entrevista pessoal, pela ECD Food Service - empresa especializada em pesquisas e consultorias no mercado de food service -, foi apresentada por Enzo Donna, diretor da empresa, com 106 estabelecimentos referenciais nas quatro principais capitais do setor: São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Curitiba. "Essa pesquisa foi realizada pela primeira vez no Brasil e trouxe dados que são interessantes para o mercado. Com o crescimento do setor, há necessidades que até então não havíamos atentado e a pesquisa ajuda a entender um pouco mais sobre isso. Nosso objetivo era identificar em estabelecimentos referenciais as principais demandas e necessidades dos segmentos do mercado de food service", disse Enzo Donna. 

 

Foram entrevistados 106 estabelecimentos, sendo 50 em São Paulo (SP), 27 no Rio de Janeiro (RJ), 11 em Recife (PE) e 18 em Curitiba (PR). A pesquisa foi separada por tipo como proteínas, laticínios, mercearia seca, mercearia líquida, bebidas (alcóolicas e não alcóolicas) e outros (batata, bolinho, salgado, mandioca, vegetais congelados e sobremesas prontas). "É um mercado que movimenta 274 bilhões por ano, então merece toda atenção, é preciso entender as suas necessidades. As entrevistas foram feitas com 85% de compradores, 14% com proprietários e 1% de chefs de cozinha", explicou Donna. A pesquisa aponta, no ranking geral, que 29% dos estabelecimentos estão preocupados com a qualidade, 22% com preço, 19% com prazo de pagamento e 15% com prazo de entrega e 15% com marca. "Alguns dados chamaram bastante atenção, como o modo que são feitas as compras. Atualmente, entre 32% a 39% as realizam por telefone. Há também uma busca pela mão-de-obra qualificada, preocupados em oferecer bons serviços", atenta Donna. 

 

O estudo revelou ainda dados e situações interessantes, valendo destaque para preocupação atual dos proprietários em colocar "ordem na casa", ou seja, preparar seus estabelecimentos para aumentar produtividade e rentabilidade. Com crescimento de 8% estimado para 2013, abaixo dos números dos últimos anos, a preocupação maior é atenção em melhorar seus negócios frente às previsões negativas do desempenho da economia brasileira para o próximo ano, denotando a confiança dos players do setor food service.

 

 

Deixe seu comentário