Food Service

Notícia

Empresas do projeto Brasil FoodService exportaram US$ 40 milhões para 40 países em 2016

No ano passado, as empresas exportadoras participantes do projeto exportaram para mais de 40 países, atingindo todos os continentes

10/02/2017

O projeto Brasil FoodService (BFS), parceria entre a Associação Brasileira das Indústrias de Equipamentos, Ingredientes e Acessórios para Alimentos (Abiepan) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) fez um balanço dos números e dados de exportações em 2016 das empresas participantes do BFS.

No ano passado, as empresas exportadoras participantes do projeto exportaram para mais de 40 países, atingindo todos os continentes. As exportações do setor geraram cerca US$ 46 milhões registrando um crescimento de 80% em relação a 2015.

Com uma grande abrangência, o mercado de food service envolve toda a cadeia de produção, distribuição de alimentos, insumos, equipamentos e serviços orientados a atender os operadores que preparam e fornecem alimentos e bebidas prontos para uma alimentação fora do lar. Dessa forma, o projeto possui desde empresas de máquinas e equipamentos até de ingredientes e acessórios.

Em 2016 os principais destinos das exportações brasileiras foram os Estados Unidos, Bolívia, Chile, Paraguai, Argentina e Colômbia. Apesar da relevância do comércio com a América do Sul, o projeto realizou ações na Itália e na França participando de feiras globais de referência para o setor de gastronomia, panificação, food service e sorvetes.

Para 2017, a expectativa é que o Projeto Brasil Foodservice continue crescendo e aumentando o número de empresas participantes, atualmente o BSF conta com 80 empresas apoiadoras. Para Alexandre Gomes, diretor de relações internacionais da Abiepan, o intuito é que as empresas nacionais consigam se internacionalizar cada vez mais, e assim aprimorar a participação brasileira no mercado mundial. Além das feiras internacionais, o projeto também oferece treinamentos e apoio técnico aos participantes para que os mesmos possam se capacitar e serem mais competitivos.

Comex-Brasil 

Deixe seu comentário