Food Service

Notícia

Empresários de alimentação apostam em novos serviços contra crise

Tendencia é que, a partir do ano que vem, o mercado vai começar a se reaquecer

11/07/2016

Pesquisa realizada pelo Sebrae-SP com 400 empresários do segmento de Alimentação Fora do Lar aponta que 47% pretendem implementar novos serviços em 2016 para manter o negócio aberto. Essa é uma das estratégias para não entrar para as estatísticas como mais uma porta fechada.

 

Segundo estudo da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), um a cada seis empresários do setor avaliam dar fim ao negócio ou repassar o ponto nos próximos meses. Isso representa 150 mil estabelecimentos em todo o País que podem chegar ao fim devido à crise que o país atravessa. O motivo da decisão em 84% dos casos é o prejuízo acumulado pela empresa diante da queda no faturamento e do aumento de custos.

 

O levantamento do Sebrae-SP ainda aponta quais as opções de implementação os empresários pretendem abordar nos próximos meses. A medida que 88% dos empreendedores pretendem adotar é a diversificação do cardápio para atender às mudanças de perfil da clientela. Logo depois, 79% dos empresários acreditam que uma das saídas é fazer promoções. Oferecer produtos naturais, mais saudáveis e/ou orgânicos é a opção de 64% dos entrevistados. Oferecer delivery também é uma saída que a maioria dos empreendedores que responderam à pesquisa acredita: 61% deles pretendem adotar este serviço.

 

Para metade dos empresários, vender marmitex é um passo importante para manter o negócio aberto diante da crise. Já 46% pretendem vender produtos diferenciados que a concorrência não vende, enquanto 39% visam se adaptar e implementar aplicativos para expandir as vendas. E 24% querem fazer vendas por meio de cupons em sites de compra.

 

A pesquisa foi realizada tanto com empresários que já tiveram contato com o Sebrae como aqueles que nunca foram atendidos. O estudo ainda aponta que 30% dos que já passaram por atendimento com o Sebrae e fizeram cursos de gestão e capacitação estão tendo melhores resultados. Segundo a consultora do Sebrae-SP Maísa Blumenfeld, os empreendedores que já passaram por atendimento “estão com a gestão melhor estruturada e por esse motivo são os que mais conseguem se prevenir e adotar ações antecipadas para reduzir os riscos”.

 

A consultora ainda destaca que, a partir do ano que vem, o mercado vai começar a se reaquecer e é importante as empresas se prepararem. Para isso, ela alerta que os empresários precisam ser mais produtivos e eficientes. “As pessoas não deixam de consumir e comer, mas elas esperam novidades. Por isso, os estabelecimentos que oferecem alimentação precisam se inovar, fazer promoções e se diferenciar de alguma forma dos concorrentes, principalmente em uma época de retração no consumo”, afirma.

 

Novos serviços para fugir da crise no segmento de alimentação:

47% pretendem implementar novos serviços em 2016:

· Diversificar cardápio para atender a clientela que está mudando 88%

· Fazer promoções 79%

· Oferecer produtos naturais/ mais saudáveis/ orgânicos 64%

· Delivery 61%

· Vender marmitex 50%

· Vender produtos diferenciados que a concorrência não vende 46%

· Vender por meio de aplicativos 39%

· Vender por meio de cupons em sites de compra 24%

Os números do segmento

· 88% dos estabelecimentos não têm filiais

· 91% dos estabelecimentos servem refeições, a maioria self service e a la carte

· Ticket médio gira em torno de R$ 28,00

· Apenas 32% dos estabelecimentos cobram a taxa de 10% de serviço

· 50% dos estabelecimentos, dividem o valor arrecadado entre os funcionários

· Aceitam várias formas de pagamento para atender os clientes

· 87% funcionam na hora do almoço

· 44% funcionam todos os dias

Deixe seu comentário