Food Service

Notícia

Empreendedoras faturam R$ 2 milhões com entrega de marmita light

A All Light Gourmet faz entrega de refeições com poucas calorias para quem quer manter a dieta

07/04/2015

Comida light, para muita gente, significa sem graça e insossa. A chef Caro Gall queria mudar esse paradigma e, junto com a sócia Cacau Melo, criou a All Light Gourmet, empresa de comida light que ajuda a manter a dieta em dia.

 

Os clientes recebem, conforme o programa, um menu completo por dia, com almoço, lanche e jantar. Tudo com calorias contadas e variedade de ingredientes. “Quando criamos, era totalmente diferente do que se via de light e diet com cara de hospital. A gente conseguiu romper o preconceito de fazer regime”, diz Cacau.

 

As sacolinhas, como são chamadas as entregas da empresa, são feitas para satisfazer a vontade do cliente. “É tudo personalizado. Ele escolhe o dia da semana que quer comer, escolhe o tipo de menu e lista até cinco restrições alimentares”, afirma Cacau.

 

O menu é uma surpresa diária. Os programas podem ser escolhidos por quantidade de calorias ou de refeições. O plano básico inclui almoço (entrada, prato principal e sobremesa), lanche, jantar e ceia, com cerca de 1000 calorias. Entre as receitas, lasanha de berinjela e musse de chocolate.

 

O preço diário é de R$ 67. “A gente monta um cardápio aleatório para cada dia a pessoa ter uma novidade. Eu vou montando receitas e uma equipe de nutricionistas me diz se está no equilíbrio de uma dieta nutritiva”, diz Caro.

 

Hoje, a empresa entrega de 150 a 180 sacolas por dia. “O que a gente tenta é manter produtos com frescor. Eu produzo quase tudo aqui, de forma artesanal. Se eu mandar geleia no pão, eu vou fazer o mais artesanal possível. Isso é um reflexo que os clientes conseguem detectar”, diz Caro.

 

As sócias investiram R$ 300 mil para tirar o negócio do papel em 2011. Atualmente, a empresa tem 17 funcionários na equipe e fatura R$ 2,2 milhões ao ano.

 

Depois de seis meses de funcionamento, criaram uma linha de produtos congelados, vendidos em empórios e mercados. “A gente cresceu bastante. Produzimos uma média de 8 mil a 10 mil congelados e 4 mil sacolinhas por mês”, diz.

 

Apesar de ter programas específicos para grávidas e dietas detox, a empresa atende um público bastante variado, que recebe as refeições em casa ou no trabalho. “Tem um público bem diferente. Além das pessoas que trabalham e querem ser saudáveis, tem gente de idade, que pede por ter alguma restrição alimentar”, diz Cacau.

 

O grande desafio do negócio, segundo as sócias, é manter as entregas pontuais para ninguém ficar sem comida. “Temos uma área de entrega dentro do centro expandido de São Paulo e fazemos entregas de 9h30 a 12h30. A comida é entregue diariamente e preparada no dia, a partir das 5h30”, afirma Cacau.

 

Para 2015, os planos incluem expandir a linha de produtos. “A gente não vê só como negócio, mas como uma contribuição para o bem estar das pessoas. Viver na correria não é saudável, por isso, estamos pensando em produtos que facilitem a vida das pessoas”, diz. (PEGN)

Deixe seu comentário