Food Service

Notícia

Empreendedor fatura R$ 450 mil com churrasco em eventos

Com shows de comédia e workshops de carnes, gaúcho fatura R$ 450 mil por ano com eventos corporativos

14/03/2016

 

O churrasco é uma das mais antigas — e saborosas — tradições que existem. O hábito de assar carnes em labaredas é comum em muitas culturas e acontece tanto no ambiente familiar, quanto em reuniões de negócios. Foi justamente nesse setor que o gaúcho Mauro Camargo, 45 anos, apostou ao criar a Companhia do Churrasco.

 

 

 

 

A história de Camargo com o churrasco começa em um açougue. Aos 22 anos, em 1992, o empreendedor mal sabia acender uma churrasqueira. “Não conhecia nada de carne crua, muito menos de churrasco”, diz. Foi quando ele começou a ajudar o cunhado em um açougue. “Eu fazia estágio na Caixa Econômica Federal e depois ia ajudar na venda e no corte das carnes. Aprendi muito com meu cunhado, até que, em junho de 1993, ele morreu repentinamente. Então, eu decidi largar meu estágio e assumir o açougue”, conta. Nos três anos seguintes, Camargo teve que conciliar a faculdade com o açougue, até que se formou em administração, em 1996.

 

 

Um dos primeiros desafios foi lidar com a concorrência dos supermercados, que cresciam em Porto Alegre e causaram queda nas suas vendas. A solução foi investir em espetinhos de carne, que eram assados em frente ao açougue.

 

 

O espaço começou a ser frequentado por pessoas que queriam descansar após o trabalho e Camargo viu que existia aí uma oportunidade. No mesmo ano, o gaúcho investiu R$ 60 mil e abriu a Companhia do Churrasco, empresa para promover happy hours e almoços corporativos. O novo braço foi o embrião do negócio que o gaúcho comanda hoje, o Embaixador do Churrasco.

 

 

A ideia surgiu em 2005, quando um grupo de 14 mulheres contratou a Companhia para um almoço. “No fim daquele dia, quando fui buscar o churrasqueiro, ele me disse que estava exausto, porque elas fizeram muitas perguntas sobre churrasco. Ao conversar com as mulheres, descobri que elas estavam a procura de alguém que ensinasse a cortar e assar carnes. Foi aí que comecei a pensar na criação do Embaixador”, conta.

 

 

Em 2007, Camargo vendeu o açougue e passou a se dedicar integralmente a fazer eventos ensinando churrasco. O produto levou um ano para ser formatado e foi preciso um investimento de R$ 12 mil para registro da marca e criação do site. “O mercado reagiu muito bem e comecei a atender eventos de grandes empresas, como Lenovo e KPMG”, afirma Camargo. Hoje são três tipos de atrações que o empreendedor oferece, que custam entre R$ 6 mil e R$ 16 mil.

 

 

A primeira é um show de stand up com dicas e situações cômicas da vida do churrasqueiro, que “serve para quebrar o gelo entre os convidados”, diz Camargo. A segunda é uma palestra em que o gaúcho fala sobre empreendedorismo, churrasco e o que ele teve que aprender para seu negócio dar certo. E a terceira é um “churrashow”, que mistura workshop de churrasco com entretenimento e jantar com música ao vivo.  Camargo também organiza cursos intensivos de dez horas, com grupos de até dez pessoas, e presta consultoria para empresas interessadas em abrir churrascarias.

 

 

Atualmente, a Companhia do Churrasco organiza cerca de 120 eventos por ano e, com o Embaixador, o faturamento da empresa aumentou de R$ 120 mil, em 2007, para R$ 450 mil, em 2015.

 

 

Fonte: pegn

Deixe seu comentário