Food Service

Notícia

Conquistando os clientes mirins com menus atraentes e diferenciados

O cardápio infantil exige uma montagem específica; saiba como criá-lo de acordo com os serviços do seu estabelecimento

04/12/2014

Durante a elaboração do cardápio infantil, devemos levar em conta os fatores nutricionais, a apresentação dos pratos e a variedade de cores, texturas e sabores. Todos esses pontos são fundamentais para que as crianças se alimentem bem, em uma época que oferece diversas tentações de baixos valores nutritivos.

 

As crianças possuem duas fases importantes para a formação do hábito alimentar: a pré-escolar e a escolar. Nessas, escolhem suas preferências alimentares baseadas, principalmente, nas cores, texturas, aromas e sabores dos alimentos. Em diversas pesquisas realizadas, é possível observar que o visual influencia, inclusive, na percepção dos sabores.

 

Os pratos oferecidos no cardápio infantil devem conter produtos diferentes, visual atrativo, cores chamativas, preço coerente e porções adequadas ao público. A seguir, você confere os principais detalhes sobre estes pontos:

 

Produtos

Diante do cardápio voltado aos adultos, pode-se escolher duas ou mais proteínas, magras, feitas com óleos vegetais, pouco sal e preparadas em método de cocção mais simples. Grelhados, assados e cozidos, por exemplo. Ao montar o prato, coloque pequenas porções.

 

Considere, também, a presença de cereais, verduras, legumes e frutas, oferecendo, assim, vitaminas e fibras solúveis e insolúveis, importantes para o bom funcionamento do organismo. Evite frituras e produtos industrializados, com corantes, conservantes, enlatados, embutidos, doces industrializados, chás e cafés. Além disso, use pouco açúcar e sal.

 

É importante sempre lembrar que as texturas dos alimentos devem ser diferentes, com o objetivo de evitar a monotonia no momento da refeição.

 

Visual e cores

Aos três meses, o bebê passa a ver o mundo colorido. Com um ano e meio, cores como verde, vermelho, azul e amarelo e, após três anos, mesmo se confundindo com os nomes de cores quentes: vermelho e amarelo. Por isso, observamos a utilização dessas em diversas redes de fast food. Além da utilização de cores, pode-se trabalhar com desenhos e formatos diferentes. Com muita criatividade, a criança consome mais alimentos sem perceber.

 

Preço

Deve ser coerente com a porção oferecida e com a tipologia do restaurante.

 

Porções

Ao montar o espelho do prato, utilize as informações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que informam o valor calórico adequado para cada idade.

 

O cardápio

O cardápio do restaurante exige uma montagem específica e baseada em diversos dados, que são obtidos por meio de uma análise administrativa de um estudo detalhado do macro e micro ambientes, com consequente avaliação de fatores econômicos, políticos, ambientais, etc., bem como de concorrência, de substitutos e novos entrantes. Assim, é possível prever e reavaliar a sua posição no mercado.

 

Ao realizar o seu planejamento, não se esqueça das preferências regionais, tipologia, público-alvo, produtos disponíveis, sazonalidade, fornecedores e cardápio físico, entre outros pontos.

 

A peça física do cardápio, também chamada de carta ou menu, é considerada como uma forma de marketing, além de ser o cartão de visita. Esse será o primeiro contato do cliente com o estabelecimento, sendo, então, responsável pela primeira impressão e por atrair os consumidores.

 

As cartas, atualmente, apresentam o modelo tradicional, retangular, de vários tipos, dentre eles:

- Simples: sem dobras, uma folha (2 páginas);

- Uma dobra: quatro páginas com uma dobra central;

- Duas dobras: um impresso em uma grande folha dobrada duas vezes, muito utilizada para o público jovem.

 

Ao lado de cada nome dos pratos que aparecem na listagem, é indicado que apareçam, em letras menores, todos os ingredientes da composição, de maneira clara e ordenada: primeiro a proteína animal e depois a forma de cocção, o tipo de molho e as guarnições.

 

Dito isso, devemos entender a relação desses parâmetros com a ferramenta que visa o trabalho com crianças; o menu infantil pode ser colocado junto com o convencional, ou apresentado em cardápios separados, com formato simples e feito com material mais resistente, colorido, divertido, com foto dos pratos, descrições legíveis e letras que facilitem a leitura, ou seja, com tamanho e fonte bem escolhidos.

 

Comercialmente falando, esses menus, quando bem feitos, têm a finalidade de aumentar o volume de vendas, pois se em uma mesa houver duas crianças, será mais provável cada uma pedir um prato infantil do que dividir um prato para adultos.  Fonte: Fispal Food Service

Deixe seu comentário