Publicidade

Food Service

Notícia

Como elaborar uma carta de vinhos

A carta de vinhos é um dos cartões de visita de um restaurante, sendo uma peça importante no faturamento de muitas casas

29/07/2014

O vinho, além de ser um atrativo para muitos clientes, é um dos produtos vendidos, e com o qual se consegue obter maior margem de lucro, daí a importância de saber "vender" esta bebida.

 

Se está pensando criar uma carta de vinhos, elaboramos algumas dicas de como elaborar uma carta de vinhos.

 

Defina o layout da sua carta de vinhos

 

Antes de iniciar a sua carta de vinhos, você deve pensar qual o layout que pretende para a mesma. Não esqueça que a carta deve ser de fácil manuseio, clara e simples para todos os públicos.

 

Ordem de colocação dos vinhos

 

Os vinhos deverão constar na carta por ordem geográfica, isto é, iniciando sempre pelos vinhos da região e do país onde se localiza o restaurante, ou, se for caso disso, os vinhos do país cuja cozinha se inspira.

 

Em seguida, é importante dividi-los por gêneros. Iniciando a carta encontram-se os aperitivos, chamados de fortificados, seguindo-se os espumantes.

 

Depois, deverão constar os vinhos brancos, os roses e, por fim, os tintos. No final, aparecem então os vinhos de sobremesa e digestivos.

 

Informações dos vinhos

 

Sobre cada vinho que consta na sua carta, você deve indicar o nome completo, a sua DOC ou varietal e a safra, se for o caso.

 

Além destas informações "obrigatórias", você pode colocar algumas opcionais como o nome da vinícola, a graduação alcoólica, a casta, o produtor, etc.

 

Não esqueça de colocar o preço do vinho. Você pode colocar o preço da garrafa e, se for caso disso, o preço do copo e o seu tamanho.

 

Menu Explicativo

 

Outra dica importante que muitas casas utilizam é colocar abaixo de cada prato que oferecem elencado o vinho ideal para aquela opção, harmonizando corretamente com a escolha.

 

Esta técnica ajuda e muito na escolha de quem não entende muito do assunto e quer começar a apreciar um bom vinho junto com as refeições.

 

 

Sugestão para compor a Carta de Vinhos

 

Espumantes

 

4 tipos diferentes: Um nacional, um champanhe, um prosecco e um rose, qualquer que seja a nacionalidade. São diferentes tipos de vinhos e pelo preço ou pelo gosto, vão agradar a todos.


Brancos

 

Uvas como Chardonnay e Sauvignon Blanc são presenças obrigatórias. Outras menos freqüentes são sempre bem vindas, mas não tão necessárias.

 

Nacionalidades: Levando em conta questões de preço e de gosto, devem constar vinhos do novo e do velho mundo.

 

2 rótulos de cada um dos principais países produtores: Espanha, Portugal, Itália, França, Argentina, Chile, África do sul e Austrália está de bom tamanho. E claro que não pode, faltar algum rótulo nacional.

 

Tintos

 

Não podem faltar as principais uvas – Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah e Pinot Noir. Além de algumas uvas mais regionais, como a italiana Sangiovese, a “chilena” Carmenère, a “argentina” Malbec ou a Sul Africana Pinotage. Dois rótulos de cada país produtor também está de ótimo tamanho.


Vinhos de sobremesa

 

Opções: Portos, Sauternes, Late Harvest, Jerez e outros. 2 opções já está de bom tamanho.

 

Importante

 

Você deve manter sempre a sua carta atualizada e esta deverá ser analisada e revista pelo menos de tempos em tempos – Exemplo de 6 em 6 meses.


Verifique se manterá os mesmos vinhos na carta e se as descrições dos mesmos deverão ser alteradas.


Não esqueça de colocar a disponibilidade do vinho, pode usar por exemplo uma etiqueta, para que o cliente não escolha um vinho que depois não está disponível no estoque.

Deixe seu comentário