Food Service

Notícia

Como criar um salão agradável e aconchegante

Um ambiente bem decorado, além de chamar a atenção dos clientes, faz com que eles se sintam à vontade e confortáveis para ficar mais tempo e voltar ao estabelecimento

16/12/2015

Restaurante Yabany, projetado pela arquiteta Brunete Fraccaroli

A identidade de um estabelecimento vai muito além da comida servida. Um ambiente limpo, com mesas e cadeiras bem dispostas, o som na medida certa, uma iluminação ideal e temperatura agradável influencia na experiência do cliente e colabora para reforçar o conceito e o estilo do local. Por isso, antes de pensar na decoração como um gasto, encare-a como um investimento necessário para garantir o conforto de seu cliente e a permanência dele por mais tempo em sua casa. “Dentro deste universo gastronômico, os sabores são o foco principal, mas atualmente vendemos uma série de sentimentos e emoções agregados a cada produto. O bem estar causado pelo alimento está totalmente ligado à apresentação do prato oferecido e tudo o que o cerca”, avalia a arquiteta Cilene Monteiro Lupi.

 

Perfil do Estabelecimento

A proposta visual também é importante e deve ser estrategicamente pensada para conversar com a personalidade do espaço. Um ponto de encontro de casais pede uma decoração intimista, já um bar para reunir amigos deve ser mais descontraído. “Todo ambiente tem que ser harmônico, seguir a mesma linha, ou seja, cada item da decoração e arquitetura tem que falar com todo o restaurante, com a temática. O ambiente deve ter uma decoração que chame a atenção, com detalhes que façam o cliente ter curiosidade em vê-los e se sinta cativado, enfim, o ambiente não pode ser frio”, define a arquiteta Brunete Fraccaroli.
Analise também fatores como o sistema de serviço - à la carte ou self-service, a especialidade da casa, o espaço e, claro, o orçamento disponível. “Um restaurante por quilo é mais informal e, às vezes, mais impessoal, pois o cliente não é atendido caso a caso e as comidas podem ser diversas e de vários estilos. O la carte permite maior interação de estilos, dando uma personalidade ao ambiente, que pode ser temático. Pizzarias pedem uma certa informalidade, mas acho que em geral as pizzarias esquecem que o aconchego do lugar ‘abraça’ seus clientes. Um ambiente estético, acolhedor e bem resolvido propicia bons momentos, unindo todos os sentidos”, aconselha Cilene.

 

 

 

 

 

 

 

 

Móveis

 

Os móveis garantem mais beleza ainda no ambiente, fazendo toda a diferença na decoração. As mesas e cadeiras precisam ser confortáveis, para que o cliente se sinta bem e permaneça o maior tempo possível. “Os modelos de cadeiras e mesas são sugestivos, não havendo alguma regra. Alguns arquitetos e proprietários preferem cadeiras maiores e mais confortáveis, podendo até optar por cadeiras com braços e poltronas para terem ainda mais conforto. Já outros ambientes menores e com alta rotatividade sugerem cadeiras e mesas menores, vai depender muito do espaço físico que o ambiente dispõe. As cores também têm grande variação, normalmente se escolhem as que combinem com o ambiente da obra em geral”, afirma José Mário, gerente comercial da Dellabruna.

 


Sua escolha, mais uma vez, depende do tipo de estabelecimento. Se for um restaurante ou churrascaria, onde as pessoas tendem a ficar muito tempo sentadas, a Dellabruna recomenda o uso de uma cadeira maior, com mais conforto. Já em bares normalmente se opta por cadeiras menores, mais descontraídas, porém ainda confortáveis. “Quando o lugar tem que rodar mais vezes, as mesas precisam de altura e pés que não atrapalhem e quando cobertas por toalhas não precisam de elaboração. No entanto, é importante poder usá-las descobertas, se for necessário, para oferecer um visual adequado e agradável ao público. O cliente também guarda a lembrança do lugar com o toque e visual”, diz o arquiteto Zé Henrique, proprietário do Studio Zeh.

 

 

 

 

Disposição e Tamanho das Mesas

 

O tamanho, altura e, principalmente, a disponibilidade das mesas e cadeiras são importantes para não trazer desconforto e atrapalhar a mobilidade dentro do salão. O recomendado é trabalhar com 1m2 por pessoa, estando nesse cálculo já incluso espaço para a circulação. Por exemplo, em uma área de 120m2 podem ser colocados 120 lugares confortavelmente. Já a altura padrão recomendada das mesas é de 76 cm. “Devemos evitar os móveis enfileirados sem nenhuma barreira visual quando colocados em clusters (os sofazinhos comuns em baladas e lanchonetes), verificar altura dos divisores – se forem altos influem na perspectiva do espaço e se forem baixos tira a privacidade - as distâncias entre mesas para o garçom passar com bandeja e, em alguns casos, até para manter a privacidade do cliente quando o restaurante faz a linha romântica com predominância de casais. Nos ambientes mais jovens, com encontro de turmas, mesas coletivas, balcões com cadeiras altas e espaços apertados e aconchegantes”, sugere Zé Henrique.

 

 

 

Orçamento reduzido

 

Criar um ambiente acolhedor e agradável não depende, necessariamente, de um grande investimento. Identifique, primeiramente, o que melhor se adequa ao projeto para, então, escolher os produtos que trarão melhor custo beneficio dentro orçamento. É possível economizar em vários itens, como revestimentos alternativos, reaproveitamento de elementos existentes, dando-lhes um novo uso. “A utilização de móveis pré-fabricados diminui consideravelmente os gastos na hora de decorar, o que não compromete sua qualidade. Em matéria de pisos, o mercado está repleto de inúmeras novas opções que substituem com grande êxito, e baixo custo, os materiais tradicionais.  Enfim,  existem milhares de truques para reduzir gastos sem sacrificar o resultado final”, conta a arquiteta Brunete Fraccaroli.


O arquiteto Zé Henrique ressalta que é importante ficar atento aos detalhes para que eles não contradigam com a proposta e imagem que deseja passar.  “A boa ambientação não necessariamente é cara, mas a adequada à atmosfera pela qual  a casa quer ser reconhecida. Se o negócio vende carne e quer ser reconhecido por sua preocupação com o meio ambiente e sustentabilidade, jamais pode colocar tapetes almofadas ou cadeiras estofadas feitos de pele de vaca com aqueles pelinhos. Tanto faz uma cadeira de um designer famoso e conhecido, estar ao lado de uma cadeira comum de buteco ou de um banco de madeira sobra de obra, o que importa mesmo é se esse conjunto agrada e traduz o brand do negócio”.

 

Iluminação e limpeza

 

A iluminação, seja natural ou artificial, é um dos itens mais importantes, pois, além da luz proporcionar conforto, ela reflete as texturas, formas e cores do ambiente. O fator limpeza percebe-se de imediato. Quando se busca um restaurante precisamos ter uma imagem limpa, que nos dê confiança. As toalhas e guardanapos precisam estar impecáveis, qualquer deslize, denigre a imagem de quem prima pela excelência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário