Food Service

Notícia

Chef belga forma pequenos empreendedores em curso de um dia

Henri’s Creperia capacita com técnicas e dicas de empreendedorismo quem deseja abrir um negócio no segmento

27/02/2018

Para quem quer se desvincular do mercado em que atua ou está desempregado e busca uma alternativa de baixo investimento e fácil implementação, abrir um negócio de alimentação pode ser uma saída. É na capacitação e orientação de pequenos empreendedores que se dedica o chef belga Henri Magnée e a confeiteira Maria de Fátima da Silva. Em 2010, os sócios fundaram a Henri’s Creperia (www.henriscreperia.com.br) para ministrar cursos de um dia em que os alunos aprendem na prática como fabricar crepes, churros gourmet, waffles, frango frito e fritas à belga, além de receberem orientações para abrir uma loja física, foodtruck ou fast-food no segmento. A escola já formou entre 3 mil e 4 mil pequenos empreendedores.

“A crise fez as pessoas buscarem outros caminhos. Apostar em uma creperia ou foodtruck de frango frito só exige que se domine a técnica de produção e tenha noções básicas de negócio. É preciso dedicação, mas um investimento financeiro baixo”, explica Henri. O chef reforça que muitas pessoas tentam aprender através de tutoriais e acabam se perdendo. “É preciso sentir o produto, e isso só acontece por meio de um acompanhamento minucioso. Ficamos ao lado do aluno para ensiná-lo e corrigi-lo quando sair da rota até que esteja totalmente capacitado”, afirma.

O empresário Antranik Conrian (43) foi um dos alunos que teve sucesso ao aplicar em sua carreira o que aprendeu na Henri’s. Depois de trabalhar anos no varejo de calçados, ele passou a atuar na área de gastronomia. Logo depois de fazer o curso de crepe ele abriu sua primeira creperia, e está construindo a segunda. “O curso é amplo e elucidativo. Além de aprender sobre a produção, tirei minhas dúvidas sobre como abrir um negócio no ramo. A prática é o mais importante”, relata.

Os cursos da Henri’s Creperia custam a partir de R$ 800 e os alunos continuam sendo assessorados mesmo depois de formados. A escola também disponibiliza aos interessados um e-book e um DVD sobre a produção de crepes. No site, há uma seção esclarecendo todos os valores para cada modelo de negócio possível.

 

Experiência belga no Brasil

Henri começou na gastronomia nos anos 1980, quando abriu um dos primeiros restaurantes por quilo de São Paulo. Autodidata, ao longo da carreira ministrou aulas em faculdades de gastronomia e foi palestrante convidado da Equipotel (feira do setor de hotelaria e gastronomia) durante anos. No final de 2009, abriu a Henri’s Creperia, primeira fábrica de crepes franceses artesanais do Brasil, e, por conta da falta de qualificação da mão de obra para o setor, desenvolveu um método próprio de fabricação da massa, para o qual contou com a ajuda de Maria de Fátima – que se especializou em crepes e galettes na França e tornou-se Maitre Crepière.

“Depois de um tempo, com bom domínio da técnica, achamos que era hora de repassar o conhecimento”, conta Henri. Enxergando uma oportunidade, os dois montaram os cursos práticos voltados a auxiliar quem quisesse montar um negócio de crepe e, posteriormente, acrescentaram os cursos dos outros produtos. “Nosso método foi criado para que qualquer um, mesmo leigo no assunto, possa aprender a colocar em prática a produção”, declara o chef.


Sobre a Henri’s Creperia
Escola de culinária que oferece cursos práticos de crepe francês, waffles, churros, frango frito, fritas à belga, entre outros, para quem deseja se aperfeiçoar ou se capacitar para abrir um negócio no ramo. Foi fundado em 2010 pelo chef autodidata Henri Magnée e a confeiteira e Maitre Crepière Maria de Fátima da Silva.www.henriscreperia.com.br.

Deixe seu comentário