Food Service

Notícia

Bares e Restaurantes devem ficar atentos ao aumento na energia elétrica

Setor gastronômico diante de mais uma pressão de custos, precisa criar alternativas para abrandar os inevitáveis prejuízos. Saiba soluções práticas para fugir de preços altos

28/04/2016

 

O significativo aumento da conta de energia no Brasil, desde o início do ano, não só mudou a vida dos brasileiros em suas casas, como refletiu intensamente no funcionamento do comércio no país. Empresas e estabelecimentos que necessitam substancialmente da eletricidade em seus negócios vêm-se obrigados a encontrar soluções para não sucumbirem à medida do governo. É o caso direto do setor gastronômico que, diante de mais uma pressão de custos, precisa criar alternativas para, no mínimo, abrandar os inevitáveis prejuízos.

 

 

De acordo com dados divulgados pelo IBGE, em 2014, a alta média nas contas chegou a 17,3%. Só para este ano, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) espera elevação de até 40%. A preocupação dos empresários é eminente com esses números: “O governo indica economizar, mas como? Desligo o ar-condicionado e deixo o cliente, que é nosso principal foco, no calor? Desligo uma geladeira? Apago a luz? Impossível! Sei que não sou só eu que estou sofrendo com esse aumento, todos os restaurantes estão reclamando e pensando em soluções para isso”, argumentou o empresário Bruno Zambrotti, proprietário do restaurante BemDito Steaks & Burgers. Ele salienta as dificuldades de se manter um estabelecimento com o aumento das contas.

 

 

“Só sei que uma conta nesse valor não dá pra sobreviver. Acabei de receber minha nova conta de luz. No mês anterior tive um aumento de R$ 9 mil para R$ 14 mil. Agora, para minha surpresa, chegou a R$ 19 mil! Mais caro do que eu pago de aluguel. Nesse mês comemoramos 9 anos de casa e ganhamos esse presente?!”, ironizou.

 

 

Soluções práticas para fugir de preços altos

 

 

 Contudo, há, literalmente, luz no fim do túnel! Em meio a todas essas dificuldades, a necessidade de um novo planejamento organizacional voltado à economia de energia se faz emergencial. Novos métodos, práticas nos trabalhos e, principalmente, a conscientização no gasto de luz, tornaram-se, além de naturais virtudes mercadológicas, uma obrigação para a sobrevida dos estabelecimentos.

 

 

“Já estamos pensando em alternativas de economia de energia. Dentre as ações, estamos estudando a aquisição de um gerador para que possa trabalhar em nosso horário de pico, pois com a economia que ele gerará na conta, paga-se a sua compra. Também já avisei sobre os novos valores da luz para a minha equipe gerencial pensar em medidas, por mais difíceis que sejam, para economizar”, disse Zambrotti.

 

 

Abaixo confira pequena cartilha que mostra simples hábitos que podem fazer diferença na conta final de seu estabelecimento

 

 

Dicas para economizar

 

Para o Aquecimento:

 

– Controle o tempo de utilização dos fornos elétricos, fritadeiras e aquecedores.

– Controle a temperatura dos fornos elétricos, fritadeiras e aquecedores.

– Evite manter os equipamentos ligados desnecessariamente.

 

Para o Resfriamento (geladeira, freezer e ar-condicionado):

 

– Procure os modelos que tenham o selo de economia de energia.

– Instale o aparelho em local bem ventilado.

– Evite abrir a porta sem necessidade ou por tempo prolongado.

– Evite guardar alimentos e líquidos ainda quentes.

– Faça o degelo periodicamente.

– Controle a temperatura do ar-condicionado e mantenha as portas do ambiente fechadas.

– Desligue o ar-condicionado quando o seu uso não for necessário.

 

Para a Iluminação:

 

– Utilize lâmpadas eficientes, como as fluorescentes e as de LED.

– Utilize luminárias de boa refletância e limpe-as frequentemente.

– Utilize lâmpadas de vapor de sódio nas áreas externas.

– Use cores claras nas paredes.

– Desligue as lâmpadas desnecessárias.

– Desligue as placas luminosas desnecessárias.

– Nos banheiros e áreas externas podem ser utilizados sensores de presença.

 

 

Fonte:  Brf food service 

Deixe seu comentário