Food Service

Notícia

4 cuidados ao investir em microfranquias

Mesmo com capital menor, as microfranquias têm riscos e exigem atenção dos empreendedores

09/03/2016

Corredor da ala de franquias, na Feira do Empreendedor SP (Foto: Divulgação/SebraeSP)

 

Com o aumento do desemprego, a busca por microfranquias tem aumentado. Estes negócios atraem principalmente quem tem pouco capital. O investimento em microfranquias é de até R$ 80 mil.

 

 

Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), mais de 400 redes oferecem oportunidades com este formato. Durante a Feira do Empreendedor SP, mais de 60 mil pessoas passaram pelo evento em apenas dois dias e os estandes de microfranquias estão, quase sempre, cheios e disputados.

 

 

Apesar de atrativas, as microfranquias exigem cuidados. Veja abaixo as recomendações de Marcio Moreno, consultor do Sebrae-SP.

 

 

1. Não decida no impulso

 

Antes de se apaixonar por uma marca, o futuro franqueado deve pesquisar. “O empreendedor precisa, pelo menos, de dois a seis meses para pesquisar. Isso depende da dedicação que ele terá”, diz Marcio Moreno, consultor do Sebrae-SP. Nesta pesquisa, converse com outros franqueados, consulte o site e as redes sociais da marca e verifique se ela é associada da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

 

 

2. Verifique o know-how do franqueador

 

Moreno explica que a franquia é, em essência, uma empresa que deu certo e iniciou um processo de expansão. O que é muito comum, segundo o consultor, são empresas que enxergam uma oportunidade de ganhar dinheiro no franchising e iniciam uma rede sem ter nenhuma experiência na área de atuação nem uma marca conhecida. “Eles montam um negócio para vender franquia. Até tem identidade visual bem definida, marca registrada e processos, mas não é conhecida. Esse é um risco grande”, diz o consultor.

 

A grande diferença das franquias é apoiar o franqueado com experiência, o chamado know-how, na área. Esta expertise ajuda a conhecer o mercado e o cliente. “Quando o franqueado tem dificuldades, o franqueador ajuda. Tem muita gente que montou negócio para vender franquia, mas não tem esse know-how. Por isso, veja se o negócio deu certo antes mesmo de virar franquia”, afirma.

 

 

3. Cuidado em ser o primeiro

 

 

Redes ainda sem franqueados podem apresentar riscos adicionais. Não há base para saber se o franqueador entrega o apoio prometido e se o negócio é realmente rentável. “Muito cuidado com franquias que não tenham franqueados com pelo menos um ano de atuação”, sugere Moreno.

 

 

4. Veja os custos

 

 

As microfranquias custam até R$ 80 mil, segundo critérios da ABF. Mas, em geral, o empreendedor precisa ter o dobro de capital para manter o negócio girando. “Os custos iniciais envolvem taxa de franquia, que varia de marca para marca, equipamentos e instalações, identidade visual, materiais de divulgação, royalties e taxa de propaganda”, diz Moreno.

 

 

 

Fonte: pegn

Deixe seu comentário