Food Service

Notícia

Padaria que só vende pães alemães fatura R$ 2 milhões

A Das Brot tem sede em Campinas e prepara um plano de expansão com franquias

26/05/2015

Uma padaria que não faz pães. A Das Brot, de Campinas, tem um modelo de negócio pouco comum no ramo: importa todos os seus produtos. Os sócios Tiago Turrato, 35 anos, e Heinz Verst, 48, queriam criar um pedaço da Alemanha no Brasil e investiram R$ 500 mil para tirar o negócio do papel. “Nós formatamos uma loja para comercializar os produtos. Somos uma padaria e café, mas não produzimos nada. Todos os pães são fabricados na Alemanha e chegam pré-assados”, diz Turrato.

 

Criada em 2011, a Das Brot apenas assa no local os pães que recebe de Hamburgo-Altona, na Alemanha. “Ficamos sabendo de uma empresa na Austrália que importava pães alemães. Se os produtos chegavam na Austrália, chegariam no Brasil”, diz Turrato.

 

Congelados, os produtos chegam em contêineres e ficam armazenados em câmaras frias: são 12 toneladas a cada 45 dias. “Na Europa, eles têm uma estrutura de logística fantástica para congelados. Precisamos trazer um pouco disso, procurando os parceiros que tinham condições de garantir a qualidade do produto”, afirma.

 

 Tiago Turrato e Heinz Verst, sócios da Das Brot (Foto: Divulgação/Das Brot)

Todos os pães são feitos com massa de fermentação natural e base de farinhas de trigo e de centeio. “Preferimos importar porque não conseguimos garantir a qualidade produzindo no Brasil”, afirma.

 

A padaria conta ainda com um pequeno empório de outros produtos importados, como pão de mel, mostarda e suco de maçã. “A ideia é trazer um pouco da cultura alemã através da gastronomia”, diz. Os pães são revendidos para empórios e hotéis também.

 

Neste ano, a marca criou franquias. “Nós formatamos a loja piloto para franquias e já fizemos a primeira franquia, também em Campinas”, diz. Os próximos passos incluem uma loja em São Paulo – “feita com bastante calma” – e mais cinco unidades.

 

Com as novas lojas, a rede planeja faturar R$ 2 milhões neste ano. “A nossa estrutura tem que ser reorganizada quando abrimos novas lojas, já que são produtos importados que não podem faltar. Por isso, temos um projeto de expansão bem gradativo”, afirma. O investimento inicial da loja de 80 metros quadrados é de R$ 275 mil. Mais informações sobre custos podem ser encontradas na página da rede no nosso canal de franquias. (Fonte: PEGN)

Deixe seu comentário